Embolando Palavras

A guerra pela hegemonia na mídia

Edir Macedo acusado de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. A Globo deita, rola e faz carnaval. Deflagrada a guerra entre a Record e a TV da família Marinho.

No Jornal Nacional, a emissora do Jardim Botânico dá amplo espaço às acusações do Ministéro Público contra o líder da Igreja Universal do Reino de Deus. A denúncia do MP diz que Edir Macedo usou o dinheiro dos dízimos e ofertas dos fiéis da IURD para comprar a TV Record e outros bens. A Justiça aceitou a denúncia na última segunda (10), transformando em réus o bispo e outras nove pessoas.

O contra-ataque veio no Jornal da Record, com uma reportagem acusando Rede Globo de “manipular o noticiário”. Para comprovar o jogo sujo da concorrente, a matéria relembrou episódios como a clássica edição do debate entre Lula e Collor no segundo turno das eleições de 1989, fato apontado como decisivo na vitória daquele que se intitulava caçador de marajás.

A família Marinho sempre usou a emissora a favor de seus interesses pessoais“, dizia trecho da matéria. A Globo, por sua vez, continua destacando o caso Edir Macedo, mostrando vídeos antigos onde o bispo aparece ensinando aos obreiros da IURD como extrair dinheiro dos fiéis. A artilharia também conta com cenas de cultos da IURD, onde pastores pedem, sem nenhum pudor, para que os fiéis “entreguem tudo”.

Ontem (13), uma longa matéria do Jornal da Record mostrou histórias de fiéis bem-sucedidos da IURD, pessoas que teriam alcançado a prosperidade graças ao ensinamentos da seita do bispo. O que o Jornal da Record não disse é que a Teologia da Prosperidade é um amontoado de promessas falaciosas, vendidas como música para milhões de desesperados que lotam igrejas neopentecostais em busca de esperança.

Essas igrejas sabem como explorar o potencial arrebatador das promessas de riqueza, saúde e felicidade emocional. Mas fica só nisso mesmo: promessas. Depois que acordam do transe, as pessoas veem a esperança escorrer pelo ralo. Para o sociólogo Paulo Romeiro, essa corrente teológica tem produzido uma “geração de decepcionados”, pessoas que se frustram quando não encontram as “respostas imediatas” para seus problemas.

Mas, voltando à briga entre a Globo e a Record, o que chama atenção na troca de acusações é que, neste caso, os dois lados têm razão. Independente da motivação, ninguém pode acusar a Globo de manipulação neste episódio. Alguém, minimamente inteligente, duvida que Edir Macedo tenha desviado dinheiro da IURD para comprar a Record? Por outro lado, quem não conhece o histórico de armações da Globo?

Nessa guerra, não há inocentes. Não é a democratização dos meios de comunicação que está em jogo. A guerra entre a Globo e a Record é pela hegemonia midiática. Por isso, é pura ingenuidade torcer por alguém nessa história. De que valeria a queda do império global  só pra dar lugar a um império universal, sustentado às custas da exploração da fé alheia?!

Anúncios

Navegação de Post Único

Uma opinião sobre “A guerra pela hegemonia na mídia

  1. danieldantas79 em disse:

    Ridículo o papelão da Globo nessa história. Gastar tanto tempo da programação de seus telejornais em um assunto que não renderia tanto caldo assim. É de incomodar e chamar muita atenção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s