Embolando Palavras

A ação dos grupos de extermínio em Natal

Extermínio

Conversei com um policial militar sobre a ação dos grupos de extermínio em Natal. O PM disse que “os grupos de extermínio são necessários para a sociedade”.

De acordo com ele, “o problema é que ‘os caras’ estão se corrompendo muito fácil”. Pedi pra ele explicar.

O PM explicou que os grupos de extermínio surgiram pra “fazer justiça”, porque nem sempre a Justiça consegue cumprir seu propósito.

“Mas agora os caras fazem qualquer coisa por dinheiro. Às vezes, até matam o chefe do tráfico de um lugar, a mando de um traficante rival que quer dominar aquele pedaço. Então, [a ação] deixou de ser por justiça”.

Nesta semana, os natalenses voltaram a discutir a existência de grupos de extermínio na capital. Na madrugada de terça-feira (20), um adolescente e dois jovens foram executados a tiros por oito homens encapuzados no bairro do Bom Pastor, Zona Oeste.

A suspeita é que os homicídios tenham sido uma resposta ao assassinato do guarda patrimonial Francisco Fernandes Campos, morto a tiros no domingo (19), em frente à Escola Estadual Lia Campos, localizada na Avenida Coronel Estevam, no bairro de Dix sept Rosado, Zona Oeste.

O PM com quem conversei disse não ter dúvidas de que o triplo homicídio era obra de colegas de farda, integrantes destes grupos que praticam a “justiça justiceira”.

“Mas parece que nenhum dos três rapazes assassinados tinham envolvimento com a morte do guarda patrimonial”, observei.

“É verdade, mas ‘os caras’ não querem nem saber disso. Eles vão lá e matam”, respondeu o policial.

Anúncios

Navegação de Post Único

Uma opinião sobre “A ação dos grupos de extermínio em Natal

  1. Marcos Silva em disse:

    Caros amigos:

    A Polícia merece respeito como uma das partes da Justiça, não como executante isolada e onisciente da Justiça. A pena de morte não faz parte do sistema legal vigente no Brasil. Todos os policiais devem ser valorizados (inclusive, e com destaque, no plano salarial) e também educados no sentido de serem agentes da Lei, evitando que eles se entendam como corporificação da Lei. Policiais são cidadãos como eu e você. Merecem respeito mas são obrigados a cumprir a Lei.

    Marcos Silva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s