Embolando Palavras

Pelo caminho

Ando quieto, sozinho ouvindo “Dust In The Wind” (Kansas), lendo um soneto de amor de Neruda, entre centenas de caprichos da imaginação.

Ainda há muitos moinhos de vento pelo caminho dessa vida quixotesca — sempre haverá. Mas aí eu já estou misturando as estórias.

Anúncios

Navegação de Post Único

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s