Embolando Palavras

O caso Geyse x Uniban

Uma mistura de preconceito, hipocrisia e moralismo retrógrado. É assim que vejo o episódio envolvendo a aluna da Uniban, Geyse Arruda, hostilizada, humilhada e quase linchada por usar um vestido curto em sala de aula. A barbárie aconteceu no dia 22 de outubro, mas só ganhou repercussão depois que vídeos da confusão foram parar no Youtube.

Geyse teve que deixar a universidade sob proteção policial, aos gritos de “Puta! Puta! Puta!”, dirigidos à estudante pela turba ensandecida. Ontem, a instituição de ensino, com sede em São Bernardo do Campo (SP), divulgou nota paga em vários jornais paulistas anunciando a expulsão da aluna.

A Uniban alegou que “a atitude provocativa da aluna resultou numa reação coletiva de defesa do ambiente escolar“. Mas o que é isso?! Desde quando ofender, ameaçar e ridicularizar uma pessoa é o mesmo que “defender o ambiente escolar”?!

É um argumento pateticamente moralista, cujo objetivo é desviar a responsabilidade da instituição, legitimar o absurdo cometido pelos 700 vândalos que lá estudam e inverter os papéis, transformando a vítima deste espetáculo grotesco em culpada.

Por mais que eu tente, não consigo entender a reação dos alunos da Uniban. O que poderia explicar um comportamento tão violento?

Alunos que participaram da selvageria deram entrevistas em programas de televisão, dizendo que Geyse estava “defamando” (sic) a imagem da Uniban — além de ridículos, são uns apedeutas.

Outros tentaram justificar o absurdo com um discurso vagabundo, afirmando que a roupa que Geyse usava era “inadequada”, como se isso os autorizasse a dirigir aquela ira imensa à moça. 

Fazia tempo que não ouvia um discursinho mais hipócrita. Como é que uma sociedade que aceita o nudismo carnavalesco, cultua a bunda como preferência nacional e acha normal que as novelas exibam cenas quase explícitas de sexo pode, agora, se escandalizar com um microvestido?

Então, quer dizer que a roupa curta de Geyse não era “adequada” ao ambiente universitário, mas as camisetas regatas curtíssimas que os playboys saradinhos usam coladinhas no corpo, com músculos caprichosamente expostos, podem tranquilamente ser usadas em sala de aula?

Por favor, se o nome disso não é machismo, não sei o que pode ser. Os marmanjos acéfalos que exibem seus corpos sem pudor censuram a popozuda desinibida que não tem vergonha de se assumir gostosa. Em que século essa gente vive?

Muito interessante o que a professora Ivana Bentes da Escola de Comunicação da UFRJ escreveu em seu Twitter: “Enquanto o Rio de Janeiro inventou o funk pós-feminista hard core de Tati Quebra Barraco em SP caras querem linchar loira desinibida!“.

Ivana Bentes também lembrou que há um componente de preconceito de classe implícito neste episódio protagonizado pelos playboys e patricinhas da burguesia paulista: “A garota é de familia humilde e a mauriçolândia hostilizando a estética periférica: desinibidas e popozudas chegando na Universidade“.

Miguel do Rosário também fez uma observação pertinente sobre o caso: “A garota saiu de casa, numa comunidade pobre, sem ser molestada na rua. Entrou num ônibus, onde causou apenas o frisson natural. Enfim, circulou por toda a parte tranquilamente. É na Universidade, porém, que ela encontrou o ambiente mais agressivo, mais preconceituoso, mais brutal.”

É isso.

Anúncios

Navegação de Post Único

22 opiniões sobre “O caso Geyse x Uniban

  1. igor em disse:

    Cara esses mlks não sei o que eles tem pra fazer uma coisa dessas mais tem um porém aqui se faz aqui se paga, no fim eles se fuderam porque a garota ficou famosa ganhou dinheiro posando nua, e agora anda por ai invés de sofrer preconceitos por causa desses merdas recebe autografos, querem tirar fotos com ela, ela pode acabar sendo atriz e etc, o trabalho que eles tiveram de fazer isso foi em vão, ela é uma vencedora e eles são uns nada da vida 😉

  2. hul em disse:

    quem é você? e quem pode me dizer quem disse o que é roupa inapropriada?

  3. DANILO MATOS em disse:

    ANÚNCIO:

    HOMEM CASADO 173 77KG BRANCO BONITO PAI DE UM CASAL DE FILHOS. FORMADO EM DIREITO COM MESTRADO E PHD. PRECISO URGENTEMENTE DE FAMA. COLOCO CALCINHA, SUTIAN TUDO QUER FOR PRECISO. SOU BRASILEIRO PRECISO DE NOTORIEDADE, POSO PARA A G MAGAZINE, DOU ENTREVISTA NO JÔ, NAO COBRO PARA ENTREVISTAS NOS JORNAIS, QUERO MOSTRAR MINHA BUNDA!!!! MOSTRO MINHA BUNDA NA PAULISTA, MOSTRO MINHA BUNDA NO CARNAVAL DE SALVADOR, MOSTRO MINHA BUNDA DO OIAPOQUE AO CHUI. PRECISO FICAR FAMOSO. OLHEM PARA MINHA BUNDA POR FAVOR ! QUERO APARECER NA REVISTA CARAS DE BUNDA PARA CIMA QUERO APARECER NO NEW YORK TIMES COMO A BUNDA MAIS BONITA DO BRASIL. SEI QUE AQUI O QUE VALE É A BUNDA. EU TENHO BUNDA GENTE!!!!!! VOU FICAR RICO!!!!!ELOGIEM MINHA BUNDA!!!! DESEJEM MINHA BUNDA!!!! COMENTEM MINHA BUNDA!!!EU TENHO BUNDA NEM ACREDITO, COM ISSO VOU FICAR FAMOSO!!!!

  4. Eu,hem? em disse:

    Eu somente queria ver esses estudantes de merda botar os cheiradores,drogados,traficantes que devem entrar na facu mas ninguem mexe com eles..foram mexer com a garota cujo unico problema foi se vestir mal para o ambiente!

  5. Jonathas em disse:

    E a Geyse galera que virou pop star, o que falar sobre isso, olhas eu tenho uma opinião..
    Realmente vivemos em um pais que nos da muita liberdade Graças a Deus uma liberdade que muitas vezes confundimos com libertinagem.
    Pessoal existe lugares pra cada coisa, eu não posso chegar e entrar de mendigo em um restaurante chique ou ir de terno e gravata na praia pra pegar um sol, acho que realmente ela não estava adquada para o ambiente e vamos e viemos mas a guria é um porre né!!!!
    Agora o que me deixou impressionado foi a atitude das pessoas olha se nós morassemos na indonesia ou algum daqueles paiser onde tem uma cultura milenar até intenderia apesar de não ser nem um pouco a favor do idealismo deles mas aqui no brasil onde a gente ve coisa muito pior foi uma atitude de loucos parecia que alguem tinha estuprado em praça publica uma criança de 5 anos, realmente parecia que tinhamos degredido uns 50 anos e o que mais me impressiona é que era uma faculdade um lugar onde as pessoas não são mais ignorantes sabem dissiminar as situações.
    Olha torço não ver mais isso até porque estamos evoluindo e entrado em um novo tempo um tempo sem destinção de cor ou sexo e sem esse tipo de descriminação, pra mim isso foi um crime:::

  6. ELIANA em disse:

    BOM SO DIGO O SEGUINTE:

    ENQUANTO OS IDIOTAS DA UNIBAN SENTIAM INVEJA DELA, POIS ELA É UMA MULHER MUITO BONITA E UM CORPO DE DAR INVEJA NOS ALUNOS E PROFESSORES, RSRS ENQUANTO A INVEJA CRESCIA COM ESSE PRECONCEITO IDIOTA.. ELA SE DEU BEM OLHEM SÓ..

    ELA FOI CONVIDADA A PARTICIPAR DE FOTOS POR VARIAS REVISTAS SEXY´S E AINDA GRAVOU UM QUADRO DE PARTICIPAÇÃO ESPECIAL NO CASSETA E PLANETA URGENTE QUE PASSA HOJE 17/11/09.. ELA SE DEU BEM E MUITOOOO BEM.. E ATRAVES DOS OTÁRIOS INVEJOSOS..KKKKKKKK

  7. Augusto em disse:

    HIPÓCRITAS !!!!!! DEMAGOGOS !!!!!

    Ninguém acredita nestes valores de dignidade social expostos nestas mensagens e em outras espalhadas por aí !!!!

    Onde é que está a tal selvageria ????!!!!!!!!!

    Quer dizer então que ninguém aqui se diverte ou divertia quando colegas de escola brigam na saída, inclusive fazendo questão de os instigar a isso ??
    E quando estão passando de carro perto de um acidente automobilístico ? Não diminuem a velocidade para se entreter com o visual da lataria amassada ou do sangue esparramado pelo chão ?
    Quando vão assistir a um rodeio a razão de lá estarem não é a da iminência do montador cair e levar uma bela pisada do cavalo ou touro ??
    Vocês não se divertem com “atrações televisivas” de humor duvidoso que exibem mendigos fazendo palhaçadas e falando desnorteios porque estão movidos pela embriaguez ou pela loucura de viverem a margem da sociedade !!!
    Quais os programas de televisão favoritos de vocês ? Os de violência, os de futilidades, os de curiosidade mórbida, ou os de sexualidade vulgarizada ????? Vocês não vão me dizer que são os de cultura, de educação ou de política, certo !?

    OPORTUNISTAS HIPÓCRITAS !!!!!!!!
    NO FUNDO, NO FUNDO, QUEM É QUE SE IMPORTA COM AS CARACTERÍSTICAS DO QUE OCORREU NA UNIBAN ???!!!!

    Aqueles alunos apenas espelham o que se pode entender como média moral dessa nossa decadente sociedade ! Nada mais, nada menos !!!
    DEVE TER GENTE QUE OS CRITICA QUE PROVAVELMENTE FEZ OU FAZ PIOR !!!

  8. hell em disse:

    Tadinha, a Loira Tesudona (geiser vaporosa) perdeu a noção do perigo, depois reclamam quando há estupros… Que as defensoras se liguem… usem o que quiser, todo homem gosta de ver mulher boasuda, eu mesmo adoro… mas foi muito orelha, quase foi linchada. Vamos usar a cabeça, mulherada e beijos pra todas. (.)(.) ( Y ) =)

  9. RML em disse:

    Acho que estamos com dificuldade de entender o que é e o que não é adequado para os dias de hoje. Tempo de mudança comportamental humana. Acho o episódio em questão extremamente vergonhoso como cidadã brasileira e como ex- aluna da Uniban (tive uma passagem muito rápida por lá, este campus específico, enquanto morava em SBC há uns anos atrás). Um retrocesso social.
    Mas foi outra coisa que me chamou mais a atenção neste texto, o comentário comparativo entre São Paulo e Rio da professora da UFRJ no twiter. Um tanto preconceituoso e bastante generalista na minha opinião. Não acho que devamos usar como referência um caso isolado ocorrido em Sâo Bernardo do Campo, para pesar diferenças culturais entre dois estados (acredito que ela estivesse se referindo aos estados, não?)
    Outro equívico (na minha opinião, que isso fique claro) de Ivana, é que naquela universidade tem muita gente gente de família humilde e a maioria dos alunos que lá estudam fazem parte de uma classe média, quase pobre, da região metropolitana de São Paulo. Que fique claro que a “mauriçolândia” de São Paulo, “os ricos” a que ela se refere, passam bem longe dessa universidade.
    As pessoas que a “esmagaram” são exatamente como ela e também e como grande parte da população deste país. Não é uma questão econômica e sim educacional.
    O que aconteceu foi importante para trazer à tona o tipo de cidadão que estamos formando. Para mim, isso é o estudo de má qualidade, a educação precária que temos desde pequenos neste país (com exceção da minoria) , dando as caras e dando as caras na universidade! Quer lugar melhor pra isso?

  10. Katia em disse:

    A hipocrisia da imprensa e da opinião pública em geral, que segue a boiada, só faltou santificar essa “santinha do pau oco”. Um circo! Os alunos foram grosseiros, machistas, tiveram uma atitude repugnante? Claro que sim! Mas daí pra colocar a menina numa redoma, como fizeram, não dá… É muita estupidez e palhaçada. Afirmar que tudo se deu por causa de uma minissaia, então, é o mesmo que chamar os leitores de idiotas! Quem é que se impressiona com uma minissaia nos dias que correm? E o pior é que venderam essa mentira para a mídia estrangeira, que deve estar acreditando na farsa de que os universitários brasileiros são excessivamente moralistas e puritanos. É cada engodo…

    • alissoncal em disse:

      Katia, ninguém está santificando a aluna. Meus comentários são todos direcionados à atitude violenta dos alunos. Não estou nem aí pras roupas que Geyse usa ou deixa de usar, nem pro despeito das outras alunas.

  11. cicero em disse:

    Mais uma prova da ipocrisia desta sociedade: Censuraram minha opinião.
    LIXO DE SOCIEDADE IPOCRITA!

    • alissoncal em disse:

      Cícero, seu comentário era grotesco. Não permito que ninguém utilize o espaço deste blog pra baixarias. Não é “ipocrisia” (sic) nem censura; é só política de boa educação.

  12. angel em disse:

    ela provocou pois se portou como uma prostituta.. subindo várias vezes 3 lances de uma rampa e levantando o vestido,até aparecer a pupa da bunda. depois tirando fotos. pros cara..o q é isso? ela se acha.. e como ainda tem gente que fala que ela é bonita???é horrorosa, do cabelo ruim, pele toda marcada e gorda..ah me poupe…estilo mulher fruta, toda malacabada..ecaaaaaaa

  13. raphaell em disse:

    sem falar que nenhuma universidade tem normas quanto ao modo de vestir, na que eu faço curso tem cada garotas e garotos que se vestem pior do que a geyse e nunca aconteceu isso, a Uniban tem uma parcela de culpa enorme em expulsar a geyse da faculdade pois o gosto de se vistir e dela, ela se vesti e usa a roupa que lea quizer…

  14. Andréa em disse:

    Vou falar e vou ser linchada, também, quer ver? Respeito não se pede, se impõe. A questão é muito mais complexa do que parece e como não estávamos lá, achamos fácil criticar os alunos. Não defendo a violência nem a censura, nem aceito que ninguém se arvore no direito de humilhar o seu semelhante em razão da roupa ou da atitude. Mas não sabemos qual foi o estopim e duvido, muito, que tenha sido só a roupa, porque em qualquer faculdade é absolutamente normal alunas com mini-saias e roupas provocantes.
    Quem somos nós, que já estamos prontos a chamar os outros alunos de machistas, retrógrados, mauricinhos, porque agiram de uma forma com a qual não concordamos? Respondo: somos iguais a eles, intolerantes, hostilizamos sem saber nem o que aconteceu na verdade. Preferimos fazer nossos discursos politicamente corretos a tentar entender o que se passou, na verdade, atiramos neles os mesmos insultos que eles atiraram nela, quando deveríamos dar-lhes ao menos o benefício da dúvida, porque é, no mínimo, estranho que todo o corpo dicente de uma faculdade seja tão equivocado e somente a nossa ´”heroína” seja boa. Repito, para que ninguém distorça o que estou dizendo: não estou defendendo nem justificando a atitude deles nem a estou criticando ou dizendo que ela mereceu. Estou, apenas, lembrando que todos nós devemos aproveitar e refletir sobre as nossas próprias intolerâncias.

  15. Karina em disse:

    Se a moça tivesse dinheiro isso nunca teria acontecido! Na verdade as patricinhas ricas estavam com inveja da beleza da moça isso sim! Tenho certeza que foram as mulheres que mais colocaram pilha nos idiotas dos “homens” da faculdade, se é que da para chama los assim.

  16. Marisa em disse:

    e isso q da estudar em faculdade de fundo de quintal querem mostra respeito sem saber respeitar. A moça e muito bonita tem mais e q mostra mesmo na verdade a unica coisa q se viu foi as pernas q por sinal saõ lindas!e esse pessoal q protesto tinha mais e q se enxerga pq pra mim isso e preconceito nao se faz com ninguem até pq com certeza ela ta pagando pra estudar como qualquer um q estuda lá e os homens q participaram do protesto com certeza de homen tem poko pq senao teria gostado de ver e não ter a diflamado e as mulheres e puro ciumes pela beleza dela expulso teria q ter sido quem fez o escandalo e a chamou de” puta” isso sim e feio e não usar um vestido curto pra mim a faculdade ta completamente errada!!!

  17. maria do socorro silva em disse:

    Tenho pouca cultura, por isto quando me falam de faculdade vejo uma entidade formadora de lideres para o nosso pais. Portanto,huanamente falando gostaria de saber,em que os outros alunos estão sendo melhores do que a Geise?

  18. rafael em disse:

    Vai estudar em FACURDADE fundo de quintal, vai…

  19. como uma universidade desse porte se porta desse jeito com, uma garota que por ser aluna nao deicha de ser uma cliente da casa,pois ela paga pra estudar,e uma cliente,e eles não deu a minima pra ela e o que pior a expulsaram-na o que e isso e danos morais viu

  20. kauane oliver em disse:

    Ela pecou sim em usar aquela roupa, mas não creio que ela é a única que assim se vestiu ou veste numa faculdade (até professores tem se vestido de forma inadequada se formos realmente questionar a escola como um TODO e não apenas o aluno),ela teve em partes, ATITUDE de correr atrás de algo que foi uma violência contra ela, isso sim eu defendo.
    Hoje este fato se tornou assunto até em rodas de crianças de 4 anos em minha sala, onde eles até questionaram uma amiguinha que esses dias foi de shorts como uma roupa inadequada, e a aluninha disse: está calor, por isso eu vim assim!e os meninos disseram: Na escola tem uniforme, porque vc não o usa?
    Que assuntos como o da Geyse nos sirva para refletirmos no que a escola passa para o aluno, e o que o aluno trás de fora quanto á visão de mundo, onde não se lance a agressão como um argumento de defesa, mas o diálogo como forma de debate aos conflitos, mudanças e respeito ao ser.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s