Embolando Palavras

Deu na Folha: Henrique Alves favorece ONG de aliado

Matéria da Folha de S. Paulo afirma que o deputado federal Henrique Eduardo ALves (PMDB-RN), indicado pelo partido para presidir a Câmara em 2013, destinou R$ 400 mil em emendas do Orçamento de 2011 ao IP (Instituto Potiguar de Desenvolvimento Social). A ONG é presidida por quatro assessores parlamentares do vereador natalense e deputado estadual eleito Hermano Morais (PMDB-RN), presidente municipal da legenda, aliado de Henrique Alves.

De acordo com a matéria, Henrique disse que apresentou a emenda a pedido de Hermano. O vereador desmentiu o deputado. Hermano disse ainda que não tem relação com o IP, apesar dos seus quatro assessores serem os responsáveis legais pela ONG.

A emenda em questão, aina segundo a matéria, é destinada ao Ministério do Turismo, que ficará no quinhão do PMDB no futuro governo Dilma Rousseff.

Leia, a seguir, a matéria da Folha:

 

BRENO COSTA

DE BRASÍLIA

 

Líder do PMDB na Câmara e principal nome do partido para a presidência da Casa em 2013, o deputado federal Henrique Eduardo Alves (RN) reservou R$ 400 mil de sua cota de emendas no projeto de Orçamento para 2011 para ONG ligada a um de seus principais aliados políticos no Rio Grande do Norte.

O IP (Instituto Potiguar de Desenvolvimento Social) tem como responsáveis legais quatro assessores parlamentares do vereador Hermano Morais (PMDB-RN), presidente do diretório municipal do partido em Natal. Além disso, outras duas pessoas ligadas a ele fazem parte do comando do instituto.

Eleito deputado estadual em outubro, o vereador nega relação com o instituto. No entanto, o próprio Eduardo Alves afirma ter recebido de Morais o pedido de emenda para a ONG.

“[O pedido] foi solicitado pelo vereador”, afirmou o deputado, que negou problemas na apresentação da emenda.

A emenda foi proposta aos recursos do Ministério do Turismo, que deverá ficar sob o comando do PMDB no governo de Dilma Rousseff. O montante é destinado à “qualificação de profissionais associados ao segmento do turismo”.

PASSADO

Em 2006, um integrante do IP chegou a ser detido com material irregular de propaganda do então candidato ao Senado Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), primo de Henrique Eduardo.

No Orçamento de 2010, o deputado Henrique Eduardo Alves já havia apresentado uma emenda de R$ 200 mil para o mesmo instituto, também via o Ministério do Turismo. O dinheiro, no entanto, não foi liberado.

Aurélio Góis Júnior, chefe de gabinete de Morais e um dos responsáveis pelo instituto, não soube explicar o destino da emenda que foi apresentada por Henrique Eduardo Alves.

“A emenda sendo aprovada, aí sim a gente vai mandar para o devido ministério”, disse Góis, sem saber dizer para qual ministério destina-se o projeto apresentado ao deputado.

A ONG, que deixou de funcionar em 2007 e foi reativada no ano passado, é a única entidade beneficiada diretamente por emenda de Henrique Eduardo Alves no relatório apresentado por ele, no fim de novembro, à Comissão Mista de Orçamento no Congresso.

O relator da comissão, senador Gim Argello (PTB-DF), renunciou ontem ao posto após ser envolvido em denúncias de repasse de verbas de emendas para institutos de fachada.

Anúncios

Navegação de Post Único

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s