Embolando Palavras

Arquivo para a categoria “Geral”

De mudança

O blog está de cara e endereço novos: http://www.embolandopalavras.com.br

Todos os arquivos, incluindo os comentários, foram transferidos pro novo endereço. Este aqui vai ficar noa r por alguns dias, até que todos se acostumem, mas depois será excluído.

Em manutenção

O Embolando está passando por manutenção. Durante alguns dias, ficará sem atualização. Em breve, o blog voltará mais bonito e com a acidez crítica de sempre, pra desembolar as ideias. Até lá.

Alô, Alô crianças e famílias de Realengo, o meu abraço!

Não escrevi nada sobre a tragédia da Escola Tasso da Silveira, no bairro carioca de Realengo, porque fiquei tão desnorteado com aquela brutalidade que não sabia o que dizer. Nessas horas, às vezes é melhor fazer como cantou Paulinho da Viola: “Silêncio, por favor, enquanto esqueço um pouco a dor no peito…“.

Evitei ver as cenas do massacre e ler matérias sobre o assunto. Tudo cheirava a muito sensacionalismo. Preferi oferecer meu silêncio solene e cúmplice em respeito à dor das famílias vitimadas. É pouco, muito pouco, frente à dimensão do luto delas, mas é o que sinto e o que posso compartilhar.

Hoje, lendo o Blog da Maria Frô, vi a homenagem que o jornal O Dia fez aos alunos que voltaram às aulas e às famílias das 12 crianças assassinadas. É, certamente, um lampejo de beleza, ternura e esperança em meio a um episódio tão avassalador.

Flagrado em blitz da Lei Seca, Aécio vira piada em redes sociais

Flagrado dirigindo no Rio de Janeiro com a carteira de habilitação vencida, o senador tucano Aécio Neves (MG) teve o documento apreendido e, com a repercussão sobre o assunto, virou um dos temas mais comentados neste domingo no Twitter. A rastag #aeciodevassa ficou em terceiro lugar no ranking dos assuntos mais populares da rede social.

Aécio Neves se recusou a fazer o teste do bafômetro ao ser abordado por uma blitz da Lei Seca, na madrugada deste domingo (17), no bairro do Leblon. O senador pagou multa de R$ 957,70 e teve o carro liberado após chamar um amigo para conduzir o veículo. Em nota, a assessoria do tucano alegou que o ex-governador mineiro não sabia que sua habilitação estava vencida.

O vexame de Aécio Neves, que uma semana antes fez um discurso no Senado Federal e foi ungido pelo PIG como o próximo presidente da República, virou motivo de piada no Twitter. O perfil @Aecio_Devassa foi criado para satirizar o tucano.

O PSDB, partido de Aécio, também virou alvo das gozações na rede social. Num blog, uma enquete perguntava qual o novo significado do partido: Partido do Senador Dirigindo Bêbado, Partido Só Da Birita, Pode Sair Dirigindo Bêbado, Puta Sacanagem Dar o Bafômetro ou Putz, Saí e fui Detido na Blitz?

A Maria Frô fez uma seleção das melhores piadas postadas na rede com o novo líder da oposição ao governo Dilma. Numa delas, a pretensão do senador mineiro de governar o país virou motivo de trocadilho: “Aécio provou que está preparado para dirigir o Brasil“, postou @larissafreitasc.

Além disso, um vídeo antigo, em que o então governador de Minas Gerais aparece fazendo campanha contra motoristas que dirigem após consumirem bebida alcoólica, se voltou contra o tucano. O episódio, como se vê, arranhou a imagem de bom moço cuidadosamente lapidada pelo senador mineiro.

Polícia apreende carteira de habilitação de Aécio Neves

Do Blog do Ailton Medeiros:

O Rio, vocês sabem, não é a Taba. Aqui um policial foi preso, acreditem, porque deu voz de prisão a um deputado que dirigia embriagado. Na cidade maravilhosa a cantiga da perua é outra.

Segundo o “Globo”, o senador Aécio Neves teve sua carteira habilitação apreendida durante uma blitz da Lei Seca, realizada na madrugada deste domingo, no Leblon. Segue notícia:

RIO – O senador Aécio Neves (PSDB-MG) teve a Carteira Nacional de Habilitação apreendida durante uma blitz da Lei Seca, realizada na madrugada deste domingo, no Leblon. O parlamentar foi parado por volta das 3h, na esquina das ruas Bartolomeu Mitre e General San Martin, e optou por não fazer o teste do bafômetro. Os fiscais da blitz constataram que a carteira de Aécio estava com a data de validade vencida. O documento foi apreendido, e o senador foi multado em R$ 957,70.

Aécio só foi liberado ao chamar um amigo para dirigir o seu carro, uma Land Rover. Procurada para comentar o caso, a assessoria de imprensa do senador ainda não foi encontrada.

Quer dizer que Aécio Neves estava dirigindo bêbado? Já imaginaram se fosse o ex-presidente Lula? Quais seriam as manchetes dos jornais do PIG?

Denúncia: Prefeitura ignorou previsão de epidemia de dengue e premeditou terceirização

A denúncia está publicada no Blog da Kallyna Kelly. O secretário do Sindicato dos Agentes de Saúde (SINDAS-RN), Cosmo Mariz, afirmou que a Prefeitura de Natal ignorou os alertas sobre uma previsível epidemia de dengue em 2001, engavetou o processo para contratação de 150 agentes de endemias via concurso público e, finalmente, terceirizou o combate à doença para a empresa pernambucana ITCI pela módica quantia de R$ 8 milhões.

O diretor do SINDAS-RN sustentou que, conforme estudo realizado pela equipe técnica da Secretaria Municipal de Saúde, na gestão da ex-secretária Ana Tânia Sampaio, a contratação dos 15o agentes custaria menos de R$ 4 milhões em três anos. Como explicar, então, a opção pela terceirização?

Como explicar que, em meio a uma suposta crise financeira, o município desembolse R$ 8 milhões para uma empresa que não tem experiência nenhuma em combate à dengue?

Para Cosmo Mariz, a explicação é simples: a terceirização foi premeditada, em detrimento ao bem da população.

Leia, abaixo, a íntegra da denúncia feita pelo diretor do SINDAS-RN:

Desde a gestão da ex-secretária de saúde Ana Tânia alertei sobre necessidade de se contratar urgentemente mais 150 agentes de combate às endemias- ACE para o Programa Municipal de Controle do Dengue-PMCD, tendo em vista que o déficit de pessoal indicava uma possível epidemia de dengue em 2011.

Atendendo a minha solicitação verbal e tendo a visão de gestora responsável e comprometida com o SUS, Ana Tânia solicitou de sua equipe técnica um estudo para verificar se minha solicitação tinha fundamento. Com a conclusão do levantamento técnico, a ex-secretária solicitou urgência no envio de uma justificativa técnica para alterar a Lei Complementar Municipal 080/2007 e aumentar o número de agentes de endemias e comunitários de 450 para 600 ACE e de 600 para 1.000 ACS.

No dia 19/02/2009 a justificativa técnica foi elaborada e posteriormente o projeto de lei que, votado na Câmara Municipal de Vereadores dia 5/6/2009, se transformou na lei Complementar nº 106/2009. Uma vez aumentada às vagas para possibilitar a realização de um certame, foi aberto o processo sob nº 010607/2009-56 pedindo a realização de um processo seletivo público com urgência.

Como eu tinha a preocupação de aumentar o quadro de agentes, acompanhei o processo de perto em todas as fases administrativas, levando-o várias vezes em mãos para determinados setores tais como: DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA, DEPARTAMENTO DE GESTÃO DO TRABALHO-DGTES, ACESSORIA JURÍDICA, GABINETE DA SECRETÁRIA ETC, com intuito de dar agilidade ao processo.

No dia 05 de maio de 2009 levei o processo para Procuradoria Geral do Município, conforme consta na movimentação do processo, mas depois daí ele parou na assessoria jurídica da SMS em 22/05/2009 e, mesmo solicitando a atual gestão da SMS que desse prosseguimento no processo seletivo para contratação dos agentes, o processo não saiu mais da assessoria jurídica, onde permanece enclausurado.

Se não bastassem esses fatos, a Prefeita cortou um milhão de reais na atual previsão do orçamento do Município para o combate a dengue.

Diante de todos esses fatos e principalmente depois do anúncio da contratação da Organização Social, o que custará aos contribuintes cerca de 8 milhões e meio, só podemos tirar a seguinte conclusão: “TERCERIZAÇÃO E ENRIQUECIMENTO FOI PREMEDITADA E SEQUER PENSARAM NO MAL QUE PODERIA CAUSAR AO POVO DE NATAL”.

Tenho todos os dados que comprovam a denúncia e cópias dos impactos financeiros para o triênio 2010-2011-2012 cujos gastos com a contratação dos 150 agentes NÃO ULTRAPASSARIA 4 MILHÕES DE REAIS EM 3 ANOS.

Cosmo Mariz

Secretário do Sindicato dos Agentes de Saúde – SINDAS-RN

Formato Mínimo

Natal de Micarla: dengue aumenta 272% e MP entra com ação de improbidade administrativa contra PMN

O Ministério Público ingressou com uma ação civil pública de improbidade administrativa contra a Prefeitura de Natal e o secretário municipal de Saúde, Thiago Trindade. O motivo é o aumento no número dos casos de dengue na capital. De acordo com o Boletim Epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS), até a oitava semana deste ano foram registrados 551 casos, contra 148 no mesmo período do ano passado — aumento de 272,29%.

A Promotora de Justiça de Defesa da Saúde, Elaine Cardoso de Matos Novais Teixeira, ingressou com um pedido de execução de liminar junto à 2ª Vara da Fazenda Pública na Ação Civil Pública, pedindo que a SMS cumpra a decisão judicial expedida em novembro de ano passado, que determinou que o município garanta a realização de pelo menos seis ciclos de combate à dengue por anos em intervalos de dois meses.

O Ministério Público quer que a SMS determine que os agentes de endemias voltem a cumprir jornada de oito horas diárias, em dois turnos. Como o secretário Thiago Trindade ignorou a recomendação, os promotores de Justiça de Defesa do Patrimônio Público ajuizaram a Ação Civil Pública por improbidade administrativa contra o gestor.

“O que o MP busca é que os agentes voltem a cumprir a carga horária estabelecida na lei na tentativa de minimizar o grave quadro que a cidade vive hoje em relação ao aumento de casos de dengue”, diz trecho da ação do MP.

Morre Alberto Granado, companheiro de Che Guevara em viagens de motocicleta

Da Rede Brasil Atual

 

Alberto Granado, o acompanhante de Ernesto Che Guevara nas viagens que inspiraram o filme Diários de Motocicleta, de 2004, morreu no sábado (5) em Cuba, aos 88 anos. Juntos, Granado e Che fizeram o passeio que se tornou famoso e motivou o livro e o filme.

Por oito meses, a dupla viajou pela América Latina, em 1951. Na época, os dois estudantes de medicina conheceram a pobreza e a injustiça social do continente, o que despertou convicções revolucionárias em Che.

Depois de ajudar Fidel Castro a depor o ditador cubano Fulgêncio Batista em 1959, Che convidou Granado para morar em Cuba. Ali, Granado passou a lecionar bioquímica na Universidade de Havana. Segundo informações da imprensa cubana, Granado morreu de causas naturais, em Havana, e o corpo será cremado.

As cinzas de Granado serão espalhadas em três países: na Argentina, onde ele nasceu; em Cuba, onde viveu; e na Venezuela, país que amava. As informações são da imprensa estatal cubana. Granado e Che se tornaram amigos na infância.

O filme Diários de Motocicleta, de Walter Salles, foi produzido a partir do diário mantido pelos dois amigos durante sua viagem, a maior parte dela feita na garupa da moto que eles chamavam de La Poderosa.

No filme, Granado foi interpretado pelo argentino Rodrigo de la Serna, e Che, pelo mexicano Gael García Bernal. Che Guevara foi morto na Bolívia, em 1967, enquanto tentava liderar uma revolução no país.

Dilma no RN: Aeronáutica desmente O Globo

Desde a última sexta-feira (4), a presidenta Dilma Rousseff  desembarcou no Rio Grande do Norte, onde veio se refugiar durante o período momesco no Centro de Lançamento Barreira do Inferno, em Parnamirim. O PIG, com o perdão do trocadilho, aproveitou para fazer carnaval com a notícia.

No mesmo dia em que Dilma chegava ao RN, o jornal “O Globo” saía com uma matéria afirmando que o Comando da Aeronáutica teria gasto R$ 8 milhões para hospedar a presidenta na base militar em Parnamirim.

O Coronel Aviador Marcelo Kanitz Damasceno disse, em nota, que a reportagem errou ao confundir “todo o volume de empenhos” previsto para a base em 2010 com os preparativos para receber Dilma Rousseff.

Leia, abaixo, a íntegra da nota emitida pelo comando da Aeronáutica:

“Em relação à reportagem “Em base militar com praia deserta, Dilma passará carnaval em família” (4/3), o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica esclarece que há equívocos nos dados que podem levar o leitor a uma interpretação errônea dos fatos.

A reportagem erra ao afirmar que ocorreram despesas no valor de R$ 8 milhões tendo em vista a visita da presidente da República. O valor que a reportagem alude possivelmente refere-se aos R$ 7.830.599,10 correspondentes a todo o volume de empenhos emitidos pelo Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) em 2010, de acordo com dados disponíveis no Siafi.

Este valor refere-se às despesas de custeio administrativo de todas as atividades do CLBI em 2010, dentre os quais R$ 2,36 milhões de investimentos realizados para atender às demandas do Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE), como o lançamento do foguete Improved Orion, previsto para ocorrer em abril deste ano.

As melhorias envolvem reforma do lançador principal, ampliação da casamata, além de construções, como o prédio de montagem de motores e um laboratório para experimentos científicos.

CORONEL AVIADOR MARCELO KANITZ DAMASCENO — Centro de Comunicação Social da Aeronáutica.”

Mercadante vem a Natal conhecer Instituto de Neurociências de Nicolelis

O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, virá a Natal, nesta quinta-feira (3), para conhecer o Instituto Internacional de Neurociência Edmond e Lily Safra, implantado em Macaiba pelo neurocientista Miguel Nicolelis.

A chegada do ministro está prevista para as 8h30. Após conhecer o IINN, Mercadante fará uma visita à escola de ensino fundamental complementar Alfredo J. Monte Verde, no bairro de Cidade da Esperança em Natal, também fundada por Miguel Nicolelis.

Em seguida, o ministro concederá entrevista coletiva à imprensa.

Celso Athayde: “A maioria dos policiais é corrupta em alguma medida”

Produtor cultural, escritor de “Falcão – Meninos do Tráfico” com MV Bill e fundador da CUFA (Central Única das Favelas), Celso Athayde escreve sobre segurança pública, violência e corrupção policial. Para ele, ao contrário do que dizem os governantes, a “banda pobre” contaminou a maioria da Polícia Militar.

Leia o artigo abaixo:

 

Insegurança Pública

Como muitos cidadãos brasileiros, em especial os cariocas, tenho acompanhado a nova crise na Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro. Na verdade, não sei se podemos chamar de crise, já que ela está sendo provocada pelo próprio Secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, que demonstra uma árdua vontade de resolver um problema antigo. Mas já que todos dizem por aí que é crise, vamos considerar que seja.

A última vez que ouvimos com frequência falar da tal “banda podre” foi na época do ex-governador Garotinho, na então gestão de Luiz Eduardo Soares como Secretário de Segurança. Hoje, essa expressão volta com mais força, parecendo que chegou a hora de acabar com a velha cultura do “esses policiais corruptos são a minoria, e não vamos deixá-los manchar o nome da maioria da instituição.”

Chega disso, né? Se fizermos uma pesquisa, descobriremos que a maioria é corrupta em alguma medida. Isso faz parte da cultura policial, não somente no Rio de Janeiro, mas em todo o Brasil. Basta ver o ponto a que chegamos – a cúpula está mais do que enrolada. Infelizmente, o buraco é bem mais embaixo.

É perfeitamente compreensível que em casos como esses, os secretários de segurança e governadores venham a público dizer: “Esses poucos marginais fardados (quando são militares) serão punidos exemplarmente, não vamos deixar que essa minoria venha a manchar o nome da grande maioria que é correta e incorruptível”. Eu, no lugar deles, diria a mesma coisa. Em nome da governabilidade, claro!

Eis a questão, pois eu realmente duvido que eles creem no que afirmam, que em cada cinco ocupantes de um patamo (Patrulha Tático Móvel), apenas um seja corrupto e os outros sejam santos. Que a maioria dos policiais dos DPOs combata o tráfico e não se beneficie dele. Ou que as carceragens das Delegacias não levem nenhuma vantagem financeira para facilitar a vida dos presos e de seus visitantes, só pra citar alguns exemplos. Mas fique tranquilo se você é parente de um policial – sério, não é dele que estou falando, estou me referindo aos “outros” .

As famílias dos policiais se revoltam quando a categoria é acusada de corrupção, no entanto concordam que existe a necessidade de fazer uma limpeza geral. Assumir a verdade é a única forma de preservar os bons policiais que infelizmente são a minoria. Tão minoria que vivem acuados e oprimidos nos batalhões e delegacias. O que pode ser confirmado diretamente com eles, que talvez não falem por medo – o mesmo medo que o cidadão comum sente.

Só para termos uma ideia, os governos estaduais se orgulham por expulsarem centenas de policiais bandidos , envolvidos com os piores crimes, todos os anos , além de terem prendido tantos outros envolvidos com domínios de favelas. Apesar disso, infelizmente as milícias não recuaram nenhum centímetro. Pelo contrário, só crescem mais e mais a cada dia. Sendo assim, o que nos faz acreditar que esses “moços” e suas redes gigantes sejam a minoria?

Amigos de policiais e traficantes sempre os acham gente boa. Independente do que eles são capazes de fazer com os outros. Veja,não estou generalizando e dizendo que todos são corruptos, estou dizendo apenas que se trata da maioria sim, em alguma medida.

É comum que policiais que defendem a sociedade e eventualmente prestam bons serviços ao Estado caiam nos braços do deslize engordando as fileiras dos que são seduzidos pelas oportunidades criminosas. E, cá entre nós, a maioria é somente 50% mais um. Você acha esse percentual realmente alto?

Por isso, antes de defender os amigos policiais, é bom lembrar que você nunca participa de suas incursões cotidianas, perseguição a ladrões de bancos com os carros cheios de dinheiro e nos sequestros a traficantes, vendas de inimigos e outras ações sinistras que até Deus duvidaria.

O problema é que existem algumas atividades ilegais que a sociedade passou a achar normal com o passar do tempo. E somente os mais graves como assaltos, estupros, sequestros, venda de armas, passaram a ser vistos como crimes de fato. Os outros desvios passaram a ser vistos como meros escorregões éticos, nada tão grave. Fazer segurança para a contravenção, milícias receberem
dinheiro de tráfico, receber dinheiro da própria polícia para beneficiá-los em melhores escalas de serviços, receber dinheiro de camelôs, entre diversas outras manifestações, deixaram de ser vistas como anomalias. Sem contar com o crime de omissão.

Depois de uma análise mínima, percebemos que sem a corrupção desenfreada não existiria nas ruas das cidades as taxas dos flanelinhas, ou alguém acha que eles são independentes? Vou além, alguém
acha que o tráfico de armas, pirataria de marcas e até mesmo de remédios não têm relação com a corrupção policial? Para não falar em prostituição, e tantos outros crimes e contravenções que só conseguem se sustentar a partir de uma relação promíscua entre a desordem e a suposta lei.

Por outro lado, temos que concordar que a corrupção não é intervenção exclusiva da polícia. Os canas parecem refletir um comportamento social, que é o mal que abre as portas para todos os males.

Para alguns, este texto pode ser visto com o único objetivo de desmoralizar a polícia. Quero deixar claro que não, longe disso, pelo contrário, acredito que sem uma polícia séria só nos restará nas ruas das cidades o caos, um verdadeiro vale tudo. O que precisamos é perceber o óbvio e deixar de lado a demagogia, para que os bons policiais sejam libertados das armaduras que lhes fazem entrar nesse jogo sujo ou proteger muitos policiais que estão em desvantagem, se aquartelando, pedindo licença-prêmio ou se virando como podem para protegerem suas próprias vidas. Precisamos de paz na vida desses homens e mulheres da lei para que as nossas vidas sejam protegidas também.

P.S.: Gostaria de aproveitar e sugerir que o Estado refletisse sobre as últimas prisões efetuadas pelos 40 policiais presos nessa última operação no Rio. Pois se o próprio estado os prendeu e afirma que eles são bandidos, pode ser que os presos sejam na verdade vítimas.

P.S. 2: Alguém ainda duvida de que o pastor da Vila Cruzeiro dizia a verdade quando acusou policiais de roubo e de que não é justo ele ser indenizado já que o estado reconhece essas loucuras?

Lucinha

A teia da vida é feita de fios cujas pontas nem sempre se encontram. O tempo tece o cordel do destino, como o vento leve, ligando as frouxas conexões que compõem os sonhos. Porque quando os olhos fecham, a luz apaga. A teia, instável, desfaz-se, como o tecido do vestido velho que a menina não usa mais.

Não há mais carnaval, só dias feitos de saudade, lembrança e incerteza. A casa está cheia da ausência dela. Mas as recordações, como disse Borges, “durarão para além de nosso esquecimento”. Em seu lugar, ficou o abraço vazio, a sinfonia inacabada, o verso sem rima.

Ela está por aí, entre galáxias, estrelas e supernovas. Tornou a ficar encantada, como profetizou Guimarães Rosa. Então, como se fosse mágica, repetimos cada palavra na esperança que seja verdade. Mas antes que janeiro chegasse ao fim, a luz que mantinha acesa a candeia perdeu força, a voz se calou, o corpo se aquietou.

Era feita de alegria, esperança e quimera. Agora é poesia, memória e falta.

Nicolelis nega candidatura à Prefeitura de Natal

O neurocientista Miguel Nicolelis, tuiteiro engajado, crítico da administração verde na capital potiguar, descartou a possibilidade de concorrer à Prefeitura de Natal em 2012.

Pelo Twitter, Nicolelis avisou: “Podem cortar essa história pela raiz“.

Nem cruza os dendritos dos meus neuronios corticais! Nao ha hipotese alguma!“, completou.

Miguel Nicolelis tem repetido que a classe política do Rio Grande do Norte está “falida”. Em 2003, implantou em Macaíba o Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lilly Safra e a escola de ensino fundamental complementar Alfredo J. Monte Verde, no bairro de Cidade da Esperança em Natal.

No ano passado, Nicolelis lançou um documento chamado Manifesto da Ciência Tropical: Uso democrático da ciência para transformação social e econômica do Brasil.

Entre outros pontos, o documento propões a criação de um “programa de educação científica pública, protagonista e cidadã de alto nível” para beneficiar um milhão de crianças; criação de centros nacionais de formação de professores de Ciência; e Criação de 16 Institutos Brasileiros de Tecnologia espalhados pelo país (clique aqui e leia mais sobre o manifesto).

As iniciativas, o engajamento e a coragem cívica de Nicolelis ajudam a explicar a exaltação que se formou em torno do seu nome. Em artigo no Novo Jornal, o jornalista Everton Dantas lançou o nome do cientista para a vaga ocupada por Micarla de Sousa.

Everton citou o “apagão de inteligência” vivido pelos governantes e legisladores locais, disse enxergar em Nicolelis o único capaz de “resolver a equação que é termos um Estado tão cheio de potencialidades e ao mesmo tempo tão ‘anêmico’” e argumentou que a candidatura dele “daria fim à histórica ocupação oligárquica da Prefeitura”.

É inegável que diante do vácuo de ideias em que vivemos, Miguel Nicolelis logo se destacaria porque ousa pensar. A ousadia, porém, vai mais longe. Ao pensar, ele se posiciona diante dos fatos, critica, cobra respostas. Manter essa postura, aqui onde vigora uma espécie de pacto da hipocrisia, é assumir riscos.

Mas para nosso desalento, Nicolelis enfatizou que a política partidária não está em seus planos. No encontro promovido pelo blogprogrn, semana passada, ao ser questionado se pensava em entrar pra política, respondeu: “Mas isso que eu faço é que é política”.

Ao recusar o lugar de herói que alguns querem lhe atribuir, Nicolelis dá outro recado: a capacidade inventiva, organizacional e mobilizatória da cidadania é muito maior que a burocracia do poder.

Dois milhões pela democracia no Egito

Da Carta Capital:

“Dia D” reúne quase 2 milhões de manifestantes no Cairo

O “Dia D” dos protestos no Egito contra o ditador Hosni Mubarak reuniu mais gente do que o esperado na capital do país, Cairo. Na praça Tahrir, ponto de encontro da cidade, cerca de dois milhões de pessoas exigiam nesta terça-feira 01 a queda de Mubarak, que há 30 anos governa o país.

A onda de manifestações que começou na semana passada atingiu outras grandes cidades egípcias como Suez e Alexandria. Inspirados pelos protestos na Tunísia, que derrubaram o presidente Ben Ali, os egípcios perderam o medo e tomaram as ruas, enfrentando a polícia e o toque de recolher imposto por Mubarak.

No domingo, Mubarak tentou aliviar a pressão popular anunciando a dissolução de todo o ministério e nomeando Omar Soleiman, ex-chefe do serviço secreto, como seu novo vice-presidente. A mudança surtiu algum efeito apenas nas relações externas – Soleiman é visto com simpatia pelos Estados Unidos e por Israel. Nas ruas, a população seguiu com os protestos. Um novo governo não era suficiente. Mubarak devia cair.

A resposta do ditador foi ampliar o toque de recolher para a população em todo o país. Ninguém deveria ficar nas ruas entre as 15h e as 8h do dia seguinte. Se alguém voltou para casa, não foi possível notar. A transmissão ao vivo da rede de TV Al Jazeera, do Catar, mostrou que as ruas do Cairo permaneciam ocupadas todo o tempo.

O exército, chamado por Mubarak para controlar os distúrbios, foi recebido com simpatia pela população. Os militares decidiram não reprimir os protestos, e limitaram-se a instalar proteção adicional à residência presidencial. Nas calçadas, soldados apenas observavam o povo e alguns deles aderiram ao movimento, juntando-se nas palavras de ordem aos manifestantes.

No início da noite, enquanto Mubarak contina a resistir, os manifestantes seguem ocupando a praça, cantando o hino nacional e entoando palavras de ordem contra o ditador.

Jordânia

A onda atual de instabilidade política no Oriente Médio, que começou pela derrubada do presidente Ben Ali na Tunísia, também chegou à Jordânia. Com menor intensidade, houve protestos contra a condução do país e o rei Abdullah II anunciou nesta terça-feira a dissolução do governo.

O rei ordenou ao primeiro-ministro jordaniano, Marouf Bakhit, a formação de um novo gabinete para “corrigir os erros do passado”. A medida tem o objetivo de aliviar a pressão sobre o rei, mas pode surtir o efeito contrário, segundo um analista entrevistado pelo jornal americano Los Angeles Times: “Uma atitude como esta pode irritar ainda mais a população, as pessoas podem achar que não estão sendo levadas a sério”, afirma Labib Kamhawi, economista e analista da região.

As tiradas de Nicolelis

Miguel Nicolelis contou no encontro com o blogprogrn, semana passada, sua epopeia para provar a uma blogueira natalense que não era um fake. Ela havia reclamado das opiniões que o neurocientista postara no Twitter. “Cientista não fala isso”, argumentou.

Apesar da repreensão da blogueira, Nicolelis continua expressando suas opiniões na ‘teia’. Desta vez, o assunto das tuitadas do neurocientista foi Micarla, Natal e o Egito. Tudo embolado no mesmo balaio. Veja:

A revolução em curso no Egito

A convulsão social que tomou conta do Egito desde o último dia 25 de janeiro, data em que eclodiram os protestos de rua pedindo o fim do regime ditatorial de Hosni Mubarak, há 30 anos no poder, chama a atenção, entre outros motivos, pelo protagonismo da internet e das redes sociais — a “teia”, como prefere o neurocientista Miguel Nicolelis — no planejamento, convocação e divulgação do movimento democrático naquele país do Oriente Médio.

O jornalista inglês Robert Fisk, em artigo reproduzido na Carta Maior, disse que “Esta é uma revolução pelo Twitter e pelo Facebook e há muito que a tecnologia derrubou as normas caducas da censura“.

No debate com os Blogueiros Progressistas do RN, na última sexta-feira (28), Miguel Nicolelis afirmou que a teia se espalharia e, em breve, daria início a uma nova democracia libertária, cujo fundamento seria o maior engajamento dos indivíduos. O que está acontecendo no Egito pode ser encarado, quem sabe, como prenúncio da realização dessa utopia.

Não por acaso, o governo de Hosni Mubarak cortou o acesso à rede, na tentativa de impedir que a internet continuasse sendo usada para convocar novas manifestações. A censura, pelo visto, não deverá surtir efeito. Nesta terça-feira (1°), segundo noticiaram as agências internacionais, os opositores do presidente egípcio anunciaram novo protesto na praça Tahir, onde começou o levante, na capital Cairo.

O Movimento 6 de Abril é o principal grupo de oposição responsável pela organização dos protestos. A Irmandade Muçulmana, antes resistente em aliar-se ao movimento, declarou apoio oficial ao levante.

O presidente Hosni Mubarak tenta, a todo custo, manter-se no poder. Ele nomeou, pela primeira vez em 30 anos, um vice-presidente, um novo primeiro-ministro e trocou um punhado de outros ministros. As oposições, porém, rejeitaram o diálogo com o regime.

No domingo (30), Mohamed ElBaradei, Prêmio Nobel da Paz, nomeado pela Coalizão Nacional por Mudança para negociar com Hosni Mubarak, juntou-se aos rebeldes da praça Thair, disse à multidão que “a mudança chegará” e pediu o fim do regime do presidente egípcio.

Até agora, mais de cem pessoas morrerram durante a onda de protestos no país.O jurista Wálter Maierovitch, em seu blog na Terra Magazine, afirmou que o estopim da revolta do povo egípcio foi quando Mubarak resolveu preparar a sua sucessão, cujas eleições estão marcadas para outubro próximo. o presidente escolheu ninguém menos que o filho mais novo, Gamal Mubarak, 47, para sucedê-lo. O povo, então, reagiu.

Os analistas contam que a reação popular egípcia é inspirada no levante que derrubou o ditador da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali, que governava o país há 23 anos. Ben Ali fugiu para a Arábia Saudita. O efeito dominó fez surgir levantes também na Jordânia, Iêmen, Argélia, Mauritânia, Sudão e Omã.

A imprensa ocidental, ecoando a voz dos Estados Unidos, sustenta que o risco é que a ditadura de Hosni Mubarak seja substituída por outra de inspiração islâmica, com a tomada do poder por grupos tidos como extremistas. Para Robert Fisk, essa tese é furada. “É apenas uma massa de egípcios asfixiada por décadas de fracasso e humilhação“, escreveu.

Na expectativa de afastar as desconfianças dos líderes das potências ocidentais, supostamente preocupados com a ascenção dos extremistas islâmicos, ElBaradei se disse disposto a assumir a presidência temporária do Egito para “uma transição à democracia”. A Irmandade Muçulmana, grupo político mais organizado do país, declarou apoio à pretensão do líder pacifista, sinalizando que o tema da religião não está em pauta.

Mas por falar em religião, as cenas de cristãos cercando as mesquitas para que muçulmanos pudessem fazer suas preces forneceram, até aqui, a mais bonita alegoria da revolução egípcia.

Em encontro com blogueiros potiguares, Nicolelis fala sobre ciência, democracia, política e jornalismo

O movimento dos Blogueiros Progressistas do Rio Grande do Norte recebeu, na noite desta sexta-feira (28), o neurocientista Miguel Nicolelis, professor da Universidade de Duke (EUA) e co-fundador do Instituto Internacional de Neurociência de Natal Edmond e Lilly Safra. O evento, realizado no auditório da Livraria Siciliano (Shopping Midway Mall), serviu como preparação para o 1º Encontro de Blogueiros Progressistas do RN, marcado para os dias 25, 26 e 27 de março.

O tema do bate-papo foi “Redes sociais, participação política e desenvolvimento da ciência”. Nicolelis iniciou dizendo que sua participação no evento demonstrava o poder dessas novas formas de comunicação. “Estou no Twitter há apenas 15 dias, mas já estou aqui para falar sobre redes sociais – mesmo sem saber nada sobre isso”, brincou, arrancando risos da plateia.

Em seguida, disse que o título da palestra poderia ser “Eu juro que eu sou eu”, fazendo referência ao debate travado com uma badalada blogueira potiguar, a quem teve que provar que seu recém-criado perfil no Twitter não era um fake.

Nicolelis aproveitou o episódio como gancho para tratar da questão da identidade no contexto das redes sociais. Ele sustentou que o modelo de mundo que conhecemos, bem como nossa identidade, não passa de uma “simulação” do cérebro. Emendou dizendo que a “cultura do ‘eu’ é uma ilusão”.

“Eu me defrontei com essa ilusão ao tentar provar que eu sou eu. Eu me engajei num debate com uma jornalista que foi uma das coisas mais fascinantes. Comecei a falar das minhas opiniões, primeiro sobre a política do RN, mas não funcionou”.

“Pare pra pensar: nós vivemos num mundo em que qualquer um pode ser eu, qualquer um pode assumir qualquer personalidade. O sucesso das redes sociais, em minha opinião de neurocientista, se deve, primeiro,  a uma coisa que vou tratar no livro que será lançado no próximo mês. Daqui a algumas centenas de anos não vamos precisar disso aqui, teclado, celular… Nós vamos pensar e nos comunicar, nos amalgamar numa rede conscientemente sem a necessidade dessas coisas pouco eficientes, como os nossos dedos, os teclados… Nós já estamos observando, mesmo com os limites que temos, já vivemos os primórdios de uma sociedade onde a identidade real não faz diferença nenhuma”, discorreu.

O neurocientista destacou que as redes sociais “conseguiram fazer as identidades, às quais a gente se apegou tanto, desaparecerem”. “Você pode assumir o que você sempre quis ser, mas não podia por medo do preconceito. Nós ainda não conseguimos lidar com o fato que as pessoas são de diferentes matizes. As redes têm essa vantagem de permitir que as pessoas possam assumir [suas ideias] livremente”.

“Não existe isso de imparcialidade”

Após discorrer sobre as redes sociais e a dispersão da identidade, Nicolelis afirmou que a ideia da “imparcialidade”, tanto jornalística quanto científica, não passa de “balela”. “Como neurocientistas, estamos cansados de saber que não existe isso de imparcialidade, como pretendem os jornalistas. Não existe imparcialidade nem jornalística nem científica”.

Para comprovar sua sentença, relembrou a cobertura midiática das eleições presidenciais do ano passado, quando a imprensa tradicional, mesmo se dizendo “imparcial”, se alinhou à candidatura do candidato do PSDB/DEM, o ex-governador de São Paulo José Serra.

“O que aconteceu no Brasil na eleição passada foi a demonstração da falácia de certos meios de imprensa e do partidarismo que invadiu essa opinião dita imparcial. Mas o desmentido só ocorreu nesse lugar capilarizado chamado blogosfera. A guerra da informação foi travada aí. A eleição foi ganha na trincheira da blogosfera, porque os desmentidos eram instantâneos”, comentou.

Nicolelis defendeu que a “teia” – termo que disse preferir usar para se referir às redes sociais – que está se formando no Brasil “é um fenômeno mundial de relevância fundamental”. Para ele, a blogosfera teve um papel de destaque nas eleições de 2010.

“Essa teia já ganhou uma eleição do ponto de vista da informação, já derrotou o exército de uma mídia que tem opinião, mas que exerceu essa opinião sem dizer. Aí é que tá o engodo. A opinião é legítima, mas esconder que tem opinião não é”.

Miguel Nicolelis frisou que outro efeito provocado pelo surgimento dessa teia é o fato de considerar “inevitável a quebra do monopólio do conhecimento, da noticia e do fato”. “Cada um de nós pode ser o propagador de um fato, de uma interpretação do fato”.

Mesmo ressaltando sua condição de neófito, Nicolelis demonstrou entusiasmo com o potencial dessa “teia” desembocar no surgimento de um novo modelo de democracia, em que os indivíduos tenham um novo papel.

“A democracia representativa é muito interessante, mas ela faliu, porque o grande objetivo dos representantes dos indivíduos do planeta é representar a si mesmo. Existe um potencial imenso de uma nova democracia, onde os indivíduos tenham um novo papel, em que possam ser agentes atuantes e definidores da nossa cidadania”.

Sobre qualquer coisa

Estava pensando sobre o que escrever. Há muitas palavras, mas pouco o que dizer. Na noite passada, sonhei com palavras enfeitadas, mas quando acordei a realidade estava novamente lá, sem enfeites. A realidade é só a realidade, como o dia é só o dia e o cinza da tarde dura a semana inteira.

Não, não tenho grandes aspirações. Meus sonhos são simples e, talvez por isso mesmo, mais intangíveis. “A eternidade é o estado das coisas neste momento”, escreveu Clarice Lispector. Agora, quando nada acontece, tudo se extingue. Mas ainda não sei sobre o que escrever. Todas as coisas parecem insossas, como as manhãs nubladas. Escolho as palavras erradas, porque nunca é fácil encontrar a palavra certa.

Estou adiando o inevitável. Cedo ou tarde, tenho que reconhecer que não tenho sobre o que escrever. Não faltam apenas palavras — falta o essencial, falta o sentido das coisas, falta o sentido do sentido. Desconfio que entrei num labirinto silencioso, cujos corredores ficam mais longos enquanto procuro a saída.

Inexplicável silêncio

Por Luis Fausto, no blog Brasília Urgente:

 

“Pitbull de Micarla” volta a atacar

Soube hoje, apesar do inexplicável silêncio que toda a mídia potiguar impôs ao caso, sabe-se lá por quais e misteriosos motivos, que Eugênio Bezerra, assessor especial da Prefeitura de Natal, voltou a mostrar as garras e a demonstrar a insanidade que lhe renderam no Novo Jornal o apelido de “pitbull de Micarla” – a prefeita Micarla de Souza que o mantém no cargo desde o primeiro instante.

Eugênio agrediu um jornalista, Alisson Almeida, no último domingo.

E agora vai responder criminalmente pelo destempero, em audiência judicial marcada para o começo do próximo ano.

Navegação de Posts