Embolando Palavras

Arquivo para a tag “Micarla”

Ainda sobre Micarla e a terceirização do combate à dengue

A Prefeita Micarla de Sousa (PV), vocês sabem, terceirizou, pela bagatela de R$ 8 milhões, o combate à dengue em Natal. Conforme publicação no Diário Oficial do Municipío (DOM) do último dia 14, a empresa pernambucana ITCI (Instituto de Tecnologia, Capacitação e Integração Social) foi contratada, pelo período de três meses, para realizar ações de combate à endemia na capital potiguar.

Um direto do Sindicato dos Agentes de Saúde (SINDAS-RN) denunciou que a Prefeitura de Natal ignorou os alertas sobre uma previsível epidemia de dengue em 2011 e engavetou o processo para contratação de 150 agentes de endemias via concurso público para favorecer a terceirização. A contratação dos 150 agentes custaria, pelo período de três anos, R$ 4 milhões aos cofres públicos.

Quase duas semanas depois da contratação do ITCI, como informou a Tribuna do Norte, nenhum dos 150 agentes de saúde terceirizados estão em campo. O secretário municipal de Comunicação, Jean Valério, disse à reportagem do jornal que o combate à dengue começaria nesta segunda-feira (25), mas o diretor administrativo do ITCI, Ramon Mello, disse que os agentes sairão à ruas somente na próxima quinta-feira (28).

Enquanto isso, o contrato entre o município e o ITCI virou alvo de investigação do Ministério Público Estadual. Ainda segundo a Tribuna do Norte, o promotor de Justiça da Defesa do Patrimônio Público, Emanuel Dhayan Bezerra de Almeida, instaurou inquérito civil na quinta-feira passada para apurar as denúncias de ilegalidades no processo de contratação da organização social pernambucana por R$ 8.116.675,72.

Apesar da investigação do Ministério Público e do atraso no início das ações, numa demonstração de generosidade extrema da prefeita Micarla de Sousa, o município antecipou o pagamento de 35% do valor do contrato (correspondente a R$ 2,84 milhões) ao ITCI.

Como se não bastasse, mesmo com o circo pegando fogo em Natal, o secretário municipal de Saúde, Thiago Trindade, viajou para passar a semana santa na Europa.

A sensação que tenho é que estamos num barco à deriva. Quando a gente pensa que as coisas não podem ficar piores que estão, Micarla e sua turma conseguem nos surpreender. Onde será que essa nau vai parar?

Anúncios

Denúncia: Prefeitura ignorou previsão de epidemia de dengue e premeditou terceirização

A denúncia está publicada no Blog da Kallyna Kelly. O secretário do Sindicato dos Agentes de Saúde (SINDAS-RN), Cosmo Mariz, afirmou que a Prefeitura de Natal ignorou os alertas sobre uma previsível epidemia de dengue em 2001, engavetou o processo para contratação de 150 agentes de endemias via concurso público e, finalmente, terceirizou o combate à doença para a empresa pernambucana ITCI pela módica quantia de R$ 8 milhões.

O diretor do SINDAS-RN sustentou que, conforme estudo realizado pela equipe técnica da Secretaria Municipal de Saúde, na gestão da ex-secretária Ana Tânia Sampaio, a contratação dos 15o agentes custaria menos de R$ 4 milhões em três anos. Como explicar, então, a opção pela terceirização?

Como explicar que, em meio a uma suposta crise financeira, o município desembolse R$ 8 milhões para uma empresa que não tem experiência nenhuma em combate à dengue?

Para Cosmo Mariz, a explicação é simples: a terceirização foi premeditada, em detrimento ao bem da população.

Leia, abaixo, a íntegra da denúncia feita pelo diretor do SINDAS-RN:

Desde a gestão da ex-secretária de saúde Ana Tânia alertei sobre necessidade de se contratar urgentemente mais 150 agentes de combate às endemias- ACE para o Programa Municipal de Controle do Dengue-PMCD, tendo em vista que o déficit de pessoal indicava uma possível epidemia de dengue em 2011.

Atendendo a minha solicitação verbal e tendo a visão de gestora responsável e comprometida com o SUS, Ana Tânia solicitou de sua equipe técnica um estudo para verificar se minha solicitação tinha fundamento. Com a conclusão do levantamento técnico, a ex-secretária solicitou urgência no envio de uma justificativa técnica para alterar a Lei Complementar Municipal 080/2007 e aumentar o número de agentes de endemias e comunitários de 450 para 600 ACE e de 600 para 1.000 ACS.

No dia 19/02/2009 a justificativa técnica foi elaborada e posteriormente o projeto de lei que, votado na Câmara Municipal de Vereadores dia 5/6/2009, se transformou na lei Complementar nº 106/2009. Uma vez aumentada às vagas para possibilitar a realização de um certame, foi aberto o processo sob nº 010607/2009-56 pedindo a realização de um processo seletivo público com urgência.

Como eu tinha a preocupação de aumentar o quadro de agentes, acompanhei o processo de perto em todas as fases administrativas, levando-o várias vezes em mãos para determinados setores tais como: DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA, DEPARTAMENTO DE GESTÃO DO TRABALHO-DGTES, ACESSORIA JURÍDICA, GABINETE DA SECRETÁRIA ETC, com intuito de dar agilidade ao processo.

No dia 05 de maio de 2009 levei o processo para Procuradoria Geral do Município, conforme consta na movimentação do processo, mas depois daí ele parou na assessoria jurídica da SMS em 22/05/2009 e, mesmo solicitando a atual gestão da SMS que desse prosseguimento no processo seletivo para contratação dos agentes, o processo não saiu mais da assessoria jurídica, onde permanece enclausurado.

Se não bastassem esses fatos, a Prefeita cortou um milhão de reais na atual previsão do orçamento do Município para o combate a dengue.

Diante de todos esses fatos e principalmente depois do anúncio da contratação da Organização Social, o que custará aos contribuintes cerca de 8 milhões e meio, só podemos tirar a seguinte conclusão: “TERCERIZAÇÃO E ENRIQUECIMENTO FOI PREMEDITADA E SEQUER PENSARAM NO MAL QUE PODERIA CAUSAR AO POVO DE NATAL”.

Tenho todos os dados que comprovam a denúncia e cópias dos impactos financeiros para o triênio 2010-2011-2012 cujos gastos com a contratação dos 150 agentes NÃO ULTRAPASSARIA 4 MILHÕES DE REAIS EM 3 ANOS.

Cosmo Mariz

Secretário do Sindicato dos Agentes de Saúde – SINDAS-RN

Enildo recua e demite os filhos de Kalazans

Depois da repercussão negativa, o secretário-chefe do Gabinete Civil da Prefeitura de Natal, Kalazans Bezerra, pediu ao vereador Enildo Alves (sem partido) para exonerar os filhos dele (Kalazans) dos cargos na Câmara Municipal. Bruna Samara Louzá Santos Bezerra havia sido nomeada para a assessoria parlamentar da Mesa Diretora, enquanto seu irmão, Bruno Henrique Louzá Bezerra Santos, estava lotado no gabinete do líder da prefeita Micarla de Sousa.

Enildo Alves, o falante, disse que Kalazans enviou ofício pedindo a exoneração dos rebentos dele. Ao contrário do que afirmou ontem, Enildo garantiu que Kalazans não indicou os filhos para os cargos, assumindo sozinho a responsabilidade pela nomeação dos dois jovens.

Parece que o vereador Enildo Alves entendeu, a duras penas, que não pode nomear quem quiser, como havia bradado no dia anterior. Constrangido, o parlamentar teve que baixar o tom e calçar as sandálias da humildade.

Esse foi só mais um episódio para a coleção de lambanças protagonizadas pela prefeita e seus aliados. Essa gestão passará à crônica política natalense como uma aventura desastrosa, uma pantomima sem graça, um espetáculo mambembe que não vale a pena ver de novo.

Micarla terceiriza combate à dengue em Natal

Comentava ontem à noite com o escritor Franklin Jorge que estava ficando sem graça escrever sobre a administração de Micarla de Sousa (PV). Nosso consenso é que não há muito mais o que dizer sobre a desastrada gestão de Sua Majestade.

Como num post aí abaixo, Micarla transformou Natal num enorme clichê. Mas hoje, a caminho do trabalho, soube pelo Twitter que a prefeita-borboleta aprontou mais uma.

A Prefeitura vai terceirizar o combate à dengue. O Executivo contratou, pela bagatela de R$ 8 milhões, uma empresa pernambucana para realizar ações de combate à doença em Natal.

O valor será pago em três meses. A contratação está publicada na edição desta quinta-feira (14) do Diário Oficial do Município (DOM).

De acordo com o DOM, a empresa vai receber, mensalmente, a parcela de R$ 2.635.929,90 (dois milhões, seissentos e trinta e cinco mil, novecentos e vinte nove reais e noventa centavos). Mas na primeira parcela, haverá o pagamento de um “bônus”, como essa prefeita é generosa, né não?!, de R$ 209.786,00 para compra de equipamentos.

Primeiro, Micarla terceirizou sua gestão ao DEM. Como a turma do senador José Agripino caiu fora, a prefeita fatiou a administração e repartiu a cidade em capitanias terceirizadas.

O problema, como se vê, é maior na saúde. Nesta área, a prefeita alardeia a UPA do Pajuçara, cuja gestão é terceirizada, como caso de sucesso.

Mas a propaganda oficial não diz que a saúde básica está abandonada, com postos sem infraestrutura, sem medicamentos e sem médicos para atender a população.

Em vez de fortalecer o serviço público, a tática da prefeita é repassar a responsabilidade para a iniciativa privada. O diabo é que a prioridade do setor privado não é o bem público, mas sim o lucro.

A onda terceirizante de Micarla, pelo visto, ainda vai longe.

Câmara derruba dois vetos de Micarla

A Câmara Municipal derrubou, na sessão ordinário de ontem (13), dois vetos da prefeita de Natal Micarla de Sousa (PV). Os projetos que escaparam da navalha da prefeita são de autoria dos vereadores Ney Lopes Júnior (DEM) e George Câmara (PCdoB).

O projeto de Ney Jr. reserva 10% das vagas no setor da construção civil em Natal para as mulheres. Já o do comunista George Câmara trata da prestação de contas no sistema público de saúde da cidade.

George afirmou que sua proposta é importante para “tornar transparentes os gastos da Prefeitura de Natal na área da saúde”.

É a primeira vez, em dois anos, que a Câmara Municipal contraria a vontade de Sua Majestade. Neste período, Micarla aprovou o que quis, sem enfrentar problemas com nossos legisladores, que deveriam, em tese, fiscalizar o Executivo.

*Com informações do Novo Jornal.

A banalização da moral na administração Micarla de Sousa

Além de relegar a cidade ao caos generalizado, a administração de Micarla de Sousa (PV) vem se notabilizando pela banalização da moral.

A denúncia da nomeação dos filhos do secretário-chefe do Gabinete Civil, Kalazans Bezerra, para cargos na Câmara Municipal de Natal, é um escárnio contra os cidadãos e demonstra como a troca de favores se consolidou como moeda de barganha nesta gestão.

Bruna Samara Louzá Santos Bezerra e Bruno Henrique Louzá Bezerra Santos foram nomeados, respectivamente, para a assessoria parlamentar da Mesa Diretora da CMN e para o gabinete do vereador Enildo Alves (sem partido), líder da bancada governista.

O vereador Raniere Barbosa (PRB) questionou, em pronunciamento na CMN, as nomeações, argumentando que tratava-se de caso de nepotismo, conforme a Súmula Vinculante 13 do Supremo Tribunal Federal (STF).

O dispositivo do STF proíbe a contratação de parentes de autoridades e funcionários para cargos de confiança, comissão e função gratificada no serviço público, além de vedar o “nepotismo cruzado”, prática comumente usada entre agentes públicos para nomearem parentes uns dos outros em troca de favores.

Além do escândalo em si, é triste ler as declarações do vereador Enildo Alves, que, para justificar a cruzeta com Kalazans Bezerra, afirmou que nomeia quem quiser, como se não tivesse que dar explicações à sociedade que lhe outorgou o mandato parlamentar.

“Essa é uma questão minha. Nomeio quem eu quiser. A cada vereador é dada essa autonomia de escolher quem quer que o auxilie. Cada um tem sua cota”, declarou o líder de Micarla, revestido pela couraça da sua conhecida empáfia.

Não, vereador Enildo Alves, o senhor não pode nomear quem quiser sem dar satisfações à sociedade, a quem o senhor diz representar.

A sua autonomia esbarra no interesse público. O quinhão a que o senhor afirma ter direito para nomear seus auxiliares não o exime de explicar suas ações ao povo.

Melhor seria se o senhor descesse do trono que imagina ocupar e, em vez de defender os desmandos da prefeita-borboleta e do seu séquito de aduladores com fidelidade canina, defendesse os direitos daqueles a quem o senhor prometeu servir: os cidadãos natalenses.

As aves de rapina do PV

Em carta ao Novo Jornal, publicada nesta terça-feira (13), a ex-presidente do PV, a bióloga Darcy Girassol, classsifica os atuais dirigentes do partido como “aves de rapina”.

Na edição de domingo (11) do mesmo jornal, o escritor Franklin Jorge chama o PV de “Partido da Lorota”. Em tom ácido, Jorge afirma que o partido da prefeita Micarla de Sousa “desbotou e manchou uma crônica planetária de defesa da sustentabilidade e da ecologia geográfica humana”.

Em outro trecho, Franklin diz que o PV natalense é composto pelo “baixo clero da política paroquiana”, lamenta que a “trupe mambembe” so liderança da prefeita-borboleta venha sendo tratada de forma “complacente” e setencia que, sob o governo de Micarla de Sousa, Natal virou um “campo minado”.

O PV perdeu o bonde da história, ao transformar-se em objeto de repúdio e chacota pública na figura dessa prefeita cheia de rompantes e palavrório. Um partido que tem devastado o verde e desementido, na prática, o seu próprio ideário filosófico“, anota.

Em sua carta, em resposta ao artigo de Franklin Jorge, Darcy Girassol acusa o presidente de honra do PV, Rivaldo Fernandes, de ter dado um “golpe” para assumir o comando da legenda no Rio Grande do Norte.

As aves de rapina tomaram conta do PV com o aval de Luiz Penna [presidente nacional da sigla]. Isto não aconteceu só aqui no RN. Em vários estados houve mudanças para ampliar e legalizar o PV. Visão estreita, perdeu-se a qualidade e boa parte dos militantes comprometidos com o manifesto, o programa e as diretrizes“, escreve a bióloga.

Dizer mais o que sobre o PV e Micarla de Sousa? Pra mim, está se tornando cansativo escrever sobre essa gestão desastrada que aí está. Em pouco mais de dois anos, a prefeita-borboleta cometeu tantas trapalhadas que, daqui pra frente, nada mais nos surpreende.

Neste período, Natal virou um enorme clichê. As alegorias discursivas usadas pela prefeita para justificar sua inoperância, além de indignação, são motivo de riso. Vide a teoria da orquestração e a tentativa de responsabilizar as elites pelo seu fracasso, duas teses fantasiosas que foram repetidas à exaustão pela lepidoptera e pelo seu séquito de aduladores.

A volta do lixão de Cidade Nova, extinto em 2004, é o que, senão o carimbo definitivo da falência do governo pevista em Natal? O caso chamou a atenção da Executiva Nacional do PV, que estuda “intervir” na situação para tentar amenizar o estrago à imagem da legenda.

Pelo Twitter, o secretário municipal de Comunicação, Jean Valério, reclamou que o Novo Jornal não tenha citado “a versão da Prefeitura” na matéria sobre o lixão. Mas que versão é capaz de justificar esse absurdo, cara-pálida?!

Micarla transforma Natal numa “Manguetown”

Fui pro mangue catar lixo, pegar caranguejo, conversar com urubu“. Com esses versos, Chico Science narra o cotidiano caótico da Manguetown, uma representação da cidade do Recife, a metrópole onde homens, lixo e urubus dividem o mesmo espaço desordenado.

No refrão, Chico descreve a perplexidade de quem é obrigado a conviver com essa desordem: “Andando por entre os becos/ Andando em coletivos/ Ninguém foge ao cheiro sujo/ Da lama da manguetown“.

Graças a prefeita Micarla de Sousa (PV), Natal está vivendo seus dias de Manguetown. Não é exagero. A volta do lixão de Cidade Nova, com as lamentáveis cenas de homens, mulheres e crianças caçando sua sobrevivência em meio aos detritos da sociedade, é o retrato sem retoques do abandono da cidade que, em outros tempos, foi cantada pelo nosso Pedrinho Mendes como a “linda baby” onde “belo cai o sol sobre esse rio“.

Com Micarla, Natal perdeu a beleza. Os natalenses, perderam o orgulho desta “terra de um deus mar” — para citar novamente Pedrinho Mendes.

Por piores que fossem as previsões sobre a administração de Micarla, ninguém poderia imaginar que a primeira prefeita de capital do Partido Verde ficaria conhecida pela volta do problema do lixão.

A Prefeitura discute o valor da dívida com as transportadoras e com a Braseco, empresa que administra o Aterro Sanitário de Ceará-Mirim — destino final dos resíduos de Natal, Parnamirim e da própria Ceará-Mirim –, enquanto assistimos atônitos e incrédulos as imagens dos homens-urubus.

Desnorteada, a administração que prometia inaugurar uma nova época de desenvolvimento sustentável dá vexame nacional.

Lembrei dos versos de outra música de Chico Science (Da lama ao caos) que serve para representar os tristes dias que vive nossa outrora linda baby nestes tempos de Micarla de Sousa: “Ô Josué, eu nunca ví tamanha desgraça/Quanto mais miséria tem, mais urubu ameaça“.

Na TV, Micarla vende ilusão e pede para o povo acreditar na gestão

A prefeita Micarla de Sousa (PV) antecipou sua estratégia para a campanha pela reeleição em 2012. A tática é copiar o slogan usado pelo ex-presidente Lula em 2006: “Deixa o homem trabalhar“. Adaptado para a prefeita-borboleta, o mote micarlista será “Deixa a mulher trabalhar“.

O jornalista Jean Valério, secretário de Comunicação da Prefeitura, deixou escapar o plano ao comemorar, pelo twitter, o slogan usado pelo presidente norte-americano Barack Obama, que, faltando 20 meses para o dia da votação, se lançou à reeleição nos EUA. “Deixe Obama realizar” foi o mote usado pelo democrata.

O slogan de Obama, como vocês podem perceber, é uma variação da frase de efeito usada por Lula em 2006. Obama, pelo menos, se deu ao trabalho de trocar o verbo “trabalhar” pelo “realizar”. A cópia de Micarla é mais descarada.

Nas ruas de Natal, alguns carros, movidos a combustível comissionado, já circulam com adesivos que ostentam o novo slogan da prefeita-borboleta. A ideia do marketing micarlista é tentar convencer o povo que a pevista não conseguiu realizar o que pretendia porque não a deixaram trabalhar.

A estratégia começou a ser explicitada pela própria prefeita, que, em sucessivas entrevistas, atribuiu seu desgaste administrativo a uma “orquestração” da oposição. Depois, dizendo-se “abandonada”, Micarla culpou as “oligaquias” pelo caos que vigora em Natal.

No domingo (3), durante os intervalos do “Domingão do Faustão” e do “Fantástico”, Micarla surgiu na TV, num comercial disfarçado de pronunciamento, vestindo novamente a fantasia de vítima. Mais uma vez, atribuiu os problemas da gestão do PV à “falta de apoio” nestes dois anos de administração, pediu que os natalenses acreditem na sua gestão e prometeu fazer “grandes realizações” no tempo que lhe resta. Fez o que sabe fazer como ninguém: representou.

Como escreveu Cassiano Arruda em sua “Roda Viva“, nesta terça-feira (5), a peça publicitária da prefeita “peca pela falta de ter o que dizer”.

Depois de mais de dois anos, é difícil engolir a transferência de responsabilidade para a crise ou a conjuntura. Afinal, foi apontando erros da administração passada e prometendo soluções que a jornalista virou prefeita. Imaginar que o eleitor ainda tem saco para esperar por ‘mais investimentos e mais realizações’ é desconhecer que a administração está bichada não é pela falta de obras. Nada disso. O problema é outro. O que falta é credibilidade. Ninguém acredita mais na Prefeitura de Natal e depois desse anúncio pode perder, também, a crença na jornalista“, comentou Cassiano Arruda.

Micarla parece acreditar que o marketing vai fazer as pessoas esquecerem as ruas esburacadas, a volta do lixão de Cidade Nova, as escolas caindo aos pedaços, a falta de merenda na rede municipal de ensino, os aumentos da tarifa de ônibus, os postos de saúde fechados e sem medicamentos, o calote aos fornecedores municipais, a farra dos alugueis milionários, as mudanças sem fim no secretariado, a desorganização e ausência de planejamento, entre outras mazelas.

A prefeita afirma que não conseguiu desenvolver seus projetos para a cidade, mas, afinal, que projetos são esses? Numa das áreas mais deficientes desta administração, a saúde pública, há dois anos a SMS não realiza compra sistemática de medicamentos. Tudo é comprado em regime de urgência, com dispensa de licitação.

A falta de planejamento faz com que o município compre remédio por preços mais caros e, no fim, o ônus fica para o contribuinte. Enquanto prioriza as UPAs e as AMEs, delegando o serviço à iniciativa privada, a gestão-verde despreza a atenção básica. Com Micarla, Natal perdeu recursos aprovados pelo Ministério da Saúde. Como a administração municipal não teve a capacidade de apresentar projetos, o dinheiro teve que ser devolvido ao Governo Federal. É o cúmulo da incompetência.

Alguém precisa dizer à prefeita que só copiar o ex-presidente Lula no slogan pode não dar resultado. É que, ao contrário de Micarla, Lula tinha o que mostrar.

Blogueiros Progressistas do RN debatem comunicação, política e ativismo social

No último final de semana, o movimento dos Blogueiros Progressistas do RN realizou seu primeiro Encontro Estadual em Natal, com a presença da educadora, historiadora e ativista social Conceição Oliveira, autora do blog “Maria Frô. Democratização da comunicação, redes sociais, governança solidária, gestão e políticas públicas foram alguns dos temas tratados durante o evento realizado no auditório do IFRN da Cidade Alta.

No debate de abertura sobre militância na rede, Conceição Oliveira destacou que, com a explosão da blogosfera, o jornalismo tradicional precisou se “refazer”. “Uma das riquezas da internet é que, quando você tem contribuições de outras áreas, você faz o jornalismo se refazer. É preciso contextualizar as coisas”.

Como exemplo da força da blogosfera progressista, Conceição citou a eleição presidencial de 2010, quando a grande imprensa jogou pesado para eleger o candidato da direita, o ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB).

“Olhando o que podemos fazer na blogosfera, fico impressionada com o que as ‘formiguinhas’ podem fazer. Conseguimos vencer toda a mídia institucional nas eleições do ano passado. É impressionante”, comemorou.

Para Conceição, a blogosfera progressista, “apesar das diferenças políticas, tem muita clareza do lugar em que deve estar”. Ela acrescentou que o trabalho da militância de esquerda na rede é ser “contra-hegemônico”.

“Temos que disputar esse campo político. Quando a gente faz esse trabalho de formiguinha, organiza-se, nós fazemos a diferença. Na hora em que o [Jair] Bolsonaro [deputado federal pelo PP-RJ] falou aquilo no CQC , na hora subiu uma tag no twitter. A gente estava de olho, estamos envolvidos de uma maneira que não deixamos nada passar. Nós somos solidários quando a causa vale a pena”.

No dia 23/03, em resposta à cantora Preta Gil, que perguntou o que o deputado faria se seu filho namorasse uma negra, Bolsonaro disse que seus filhos não corriam esse risco, muito menos tornarem-se homossexuais, porque não haviam sido criados em ambiente promíscuo.

Por causa das declarações racistas e homofóbicas, o presidente da OAB-RJ (Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro), Wadih Damous, pediu a cassação do mandato de Bolsonaro.

“O desafio é sair dessa fase puramente militante”

Conceição enfatizou que o desafio da blogosfera progressista é “sair dessa fase puramente militante”, porque a grande imprensa atua, verdadeiramente, “como um partido político”.

“Fazemos uma oposição cerrada a esse jornalismo cheio de factóides, sem compromisso com a verdade. Há dezenas de casos que dariam pra fazer tese de factóides que viraram capa da ‘Veja’. Nós estamos lidando de fato com um partido político. Os leitos que inventaram a expressão PIG [Partido da Imprensa Golpista]têm toda razão”, pontuou.

Como exemplo desta atuação partidária da imprensa conservadora, Conceição lembrou das constantes crises fabricadas para derrubar o governo Lula.

“Como é que você tem uma imprensa que, durante oito anos, criou crises dia a dia? As críticas que o governo Lula merecia foram feitas pela esquerda. Lula foi chamado de ‘estuprador’, foi chamado de cerceador da liberdade de imprensa, mas não fez um enfrentamento contra essa mídia”.

Conceição conclamou os blogueiros progressistas a cerrarem fileiras para que o novo marco regulatório da comunicação se torne realidade.

“Nosso grande desafio é fazer esse marco regulatório sair do papel. Ele não vai sair como queremos, mas precisamos que saía o mais próximo possível. Mesmo sem o marco, temos uma legislação que é constantemente desrespeitada, principalmente pelas TVs”.

O Projeto de Lei que regulamenta os meios de comunicação no Brasil foi consluído no fim do governo Lula e estava pronto para ser enviado ao Congresso Nacional. Com a posse da presidenta Dilma Rousseff, o novo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, recolheu o projeto para fazer nova “avaliação” — o que indica que, sem pressão popular, o documento não sairá da gaveta.

Alerta

Conceição observou ainda que é preciso “politizar o debate” sobre a disputa política. Para ela, quando se limita ao “poder pelo poder”, mesmo no campo da esquerda, a disputa não vale a pena.

Citando o caso de Natal, onde se vive um caos administrativo sob a administração da prefeita Micarla de Sousa (PV), cuja eleição se apoiou numa combinação de populismo, preconceito e xenofobismo, Conceição alertou para a urgência de nos organizarmos “para impedirmos que outro oportunista chegue ao poder”.

Mais debates

Além do debate com Conceição Oliveira, o encontro promoveu uma discussão sobre políticas nas áreas da Educação, Saúde, Cultura e Segurança, reunindo à mesa a educadora Cláudia Santa Rosa, o ex-diretor do Conselho Nacional de Saúde Francisco Júnior e os jornalistas Tácito Costa e Cézar Alves.

A programação do sábado terminou com um debate com o sociólogo Paulo Araújo, consultor da Unesco, sobre redes sociais, governança solidária e gestão pública.

No domingo pela manhã, os blogueiros revisaram a aprovaram a Carta de Natal, com os pontos programáticos que serão defendidos pelo movimento e servirão para orientar as próximas ações e debates do Blogprog-RN.

O I Encontro dos Blogueiros Progressistas do RN reuniu uma média de 30 participantes, entre blogueiros, tuiteiros, usuários de outras redes sociais e ativistas sociais. O evento contou ainda com as ilustres presenças da deputada federal Fátima Bezerra (PT), do deputado estadual Fernando Mineiro (PT) e do vereador George Câmara (PCdoB).

Apesar da ausência, os vereadores Raniere Barbosa (PRB) e Júlia Arruda (PSB) contribuiram para a realização do Encontro do Blogprog-RN e, por isso, merecem nosso agradecimento.

Micarla e as oligarquias

Li no Blog do Oliveira que a prefeita Micarla de Sousa (PV) chamou seus ex-aliados de 2008 de “oligarquias”. Perguntada sobre como explicava a reprovação de 84,5% a sua gestão, ela vestiu, novamente, a fantasia de vítima: “As oligarquias não tinham príncipes disponíveis em 2008 e eu fui convocada. Eleita, fui isolada“, respondeu.

É inacreditável como a prefeita-borboleta é rápida em arranjar justificativas para sua inépcia administrativa. Como diria Sartre, Micarla parece acreditar que o inferno são os outros e inventa teorias conspiratórias, como a lorota da “orquestração”, para transferir a responsabiliade pelo fiasco do governo do PV.

Em 2008, Micarla criticou a aliança formada em torno da deputada federal Fátima Bezerra (PT), sua adversária na disputa pelo Palácio Felipe Camarão, afirmando que os “poderosos” haviam formado um “acordão” para eleger a petista.

Mesmo reunindo em seu palanque o senador e dono do sistema Tropical de Comunicação José Agripino (DEM), a então senadora e agora governadora Rosalba Ciarlini (DEM), o então presidente da Assembleia Legislativa e agora vice-governador Robinson Faria (PMN), o banqueiro e deputado federal João Maia (PR) e os deputados federais Felipe Maia (DEM), Fábio Faria (PMN) e Rogério Marinho (PSDB), Micarla conseguiu convencer o povo que lutava sozinha contra os “caciques” que haviam se unido para derrotá-la.

Com a crescente reprovação à administração pevista, os aliados de 2008 abandonaram a prefeita-borboleta à própria sorte. Disseram-se “frustrados” com a maneira como Micarla de Sousa estava conduzindo os rumos da cidade.

Atriz das boas, desta vez a prefeita quer nos convencer que, somente agora, descobriu que foi “usada” pelas oligarquias em 2008. Perguntei aos meus constrangidos botões se Micarla de Sousa esquecera que seu neo-aliado, o deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB), é representante de uma das oligarquias mais perenes da política do RN. Fiquei sem resposta.

Até Aldo Tinoco zomba da rejeição de Micarla

O ex-prefeito Aldo Tinoco comentou, em matéria da Tribuna do Norte, a rejeição de 84,5% à administração da prefeita Micarla de Sousa, conforme revelou a última pesquisa Consult, divulgada ontem, sobre a avaliação da gestão municipal e a sucessão de 2012.

Aldo contemporizou, dizendo que os prefeitos do RN enfrentam uma crise em função da queda dos repasses do FPM, mas, em seguida, lembrou que, na metade do mandato, em 1995, seu índice de rejeição girava entre 20% e 25%. A reprovação à prefeita-borboleta, portanto, é a maior enfrentada por um gestor natalense.

Vale lembrar que Aldo Tinoco se transformou num personagem folclórico, político de mandato único e símbolo de gestor mal avaliado pela população. À época, virou o patinho feio da província. Ninguém o queria como aliado.

Micarla conseguiu superá-lo com folga.

 

 

Pesquisas revelam que desaprovação à gestão Micarla de Sousa é crescente

Além da simples “fotografia do momento”, como disse a prefeita Micarla de Sousa (PV) pelo Twitter, pesquisas indicam tendências. No caso da administração verde em Natal, o levantamento divulgado nesta quinta-feira (24) pela Consult deixou evidente que, a não ser que ocorra uma imensa reviravolta, a rejeição à atual gestão municipal é irreversível.

Em janeiro, quando o instituto divulgou a primeira pesquisa do ano, a administração de Micarla de Sousa era reprovada por 77,6% dos natalenses. Agora, a reprovação cresceu quase 7% e chegou a 84,5%.

No início de março, o portal Carta Potiguar divulgou levantamento do Instituto Seta, em que a reprovação do governo do PV havia atingido 77,9%.

Os dados apontam para o mesmo cenário: Micarla não só não recuperou sua popularidade, como viu seus índices positivos minguarem ainda mais. É um fenômeno.

Para Micarla, os números são fruto da “orquestração” dos adversários dela. Essa é a orientação do marketing, repetida pelos bobos da corte, para fazer com que a população a veja como vítima e esqueça o caos administrativo em que vive a cidade desde janeiro de 2003. Parece que o discurso ensaiado não está surtindo o esperado efeito.

O ano, porém, está só começando. Vamos acompanhar, atentos, o desenrolar dos fatos. Conseguirá a prefeita-borboleta forças para voar alto novamente? Façam suas apostas.

 

Micarla bate recorde de desaprovação: 84,5%

Uma nova pesquisa, divulgada hoje pela manhã pelo instituto Consult, revelou que a administração da prefeita Micarla de Sousa (PV) é reprovada por 84,5% da população natalense. É um recorde nacional. Apenas 9,25% concordam com a maneira como a pevista governa a cidade.

Além disso, Micarla lidera o ranking da rejeição entre os possíveis candidatos à Prefeitura de Natal em 2012: 61% dos eleitores disseram que não votariam nela em hipótese alguma. Novo recorde para a prefeita-borboleta.

O inferno de Micarla não para por aí. Não bastasse ver sua administração naufragar e sua popularidade ir pelo ralo, a prefeita ainda é obrigada a ver seu maior desafeto, o ex-prefeito Carlos Eduardo (PDT), disparar nas intenções de voto para 2012.

O pedetista lidera a disputa em todos os cenários apontados pela pesquisa. Ele varia de 41,5% a 57,38% na preferência dos eleitores. Em todas as simulações, Micarla não atinge nem 7%.

Entre os DEMenudos (Felipe Maia, Walter Alves e Fábio Faria), apelido dado pelo jornalista Daniel Dantas aos herdeiros dos clãs Maia, Alves e Faria, o mais perigoso é o filho do senador José Agripino (DEM). Na simulação com Carlos Eduardo (56,13%) e Micarla (5,63%), Felipe fica em segundo, com 14,63%.

O tucano Rogério Marinho chega a, no máximo, 8%. Hermano Morais (PMDB) atinge 15,25%, no cenário sem Carlos Eduardo. Nesta hipótese, a líder seria a ex-governadora Wilma de Faria (PSB), com 43,38%. Fernando Mineiro (PT) patina na casa dos 3%.

Por razões diversas, não acredito nas candidaturas de Wilma de Faria, Hermano Morais, Walter Alves, Fábio Faria nem Rogério Marinho. O cenário mais provável, na minha modesta opinião, é com Carlos Eduardo, Felipe Maia, Micarla de Sousa e Fernando Mineiro. Neste caso, teríamos dois candidatos do campo progressista contra dois conservadores.

A salada de números e nomes não permite fazer prognósticos precisos sobre o que acontecerá no próximo ano. Até lá, tudo pode aconter — até mesmo nada. Mas o levantamento indica pelo menos uma tendência. A derrocada da popularidade da prefeita é um fato consolidado.

Os índices traduzem o que se comenta nas ruas, nos bares, nos ônibus, nas conversas de fim de tarde das calçadas e nos debates das redes sociais. O descontentamento com a administração do PV atingiu níveis nunca antes vistos na história da cidade. Nem mesmo o impopular Aldo Tinoco conseguiu tamanha proeza.

Micarla sofreu uma metamorfose às avessas. A prefeita-borboleta é, nos dias atuais, uma quase unanimidade negativa entre os natalenses. Dois anos após conquistar o poder, frustrou as expectativas daqueles que, ingenuamente, enxergavam nela a figura da salvadora da pátria.

Agora, a prefeita deposita nos governos estadual e federal sua esperança para ressurgir das cinzas (o problema é que ela não é nenhuma fênix, mas só uma borboleta com as asas quebradas). Assim, admite, indiretamente, sua incompetência administrativa. Alega que nos anos anteriores não teve apoio para governar a cidade. Pura balela. O tucano Aécio Neves, por exemplo, governou Minas Gerais durante quase oito anos fazendo oposição ao governo Lula, mas deixou o cargo com recordes de aprovação.

Micarla procura um bode expiatório para o seu fiasco. Mas os natalenses precisam ficar atentos para um detalhe: Micarla é uma invenção coletiva. Ela não chegou sozinha à Prefeitura de Natal. Teve, para isso, o apoio decisivo de uma estrutura midiática, empresarial e política.

No campo político, contou com o apadrinhamento de Rosalba, Agripino, Robinson Faria, João Maia, Felipe Maia, Fábio Faria e Rogério Marinho. Eles são co-responsáveis por esse desastre que está aí. É preciso, pois, cobrar deles a fatura que pagamos em 2008.

Escândalo: Estrutura de Comunicação da Prefeitura de Mossoró era usada para alimentar blog apócrifo

Na edição deste domingo (20), o jornal “O Mossoroense” revela detalhes do escândalo que está sendo chamado de “Watergate de Mossoró“. De acordo com a reportagem, a assessoria de comunicação da Prefeitura de Mossoró era usada para atualizar o blog de “Paulo Doido“, publicação apócrifa que servia para atacar críticos da prefeita Fafá Rosado (DEM).

As informações se baseiam em documentos fornecidos à Justiça pela Google Brasil, pelo provedor Mikrocenter e pela Velox. A documentação mostrou que computadores do gabinete da prefeitura de Mossoró e da Reitoria da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) foram utilizados na prática de crimes virtuais.

Ainda segundo a matéria (leia a íntegra aqui), o blog apócrifo foi criado em 18 de fevereiro de 2010 e saiu do ar em 13 de julho do mesmo ano, na mesma data em que a Justiça requisitou que o Google informasse quem eram seus autores.

Tratava-se de um grupo de servidores comissionados da Prefeitura de Mossoró, lotados na Gerência da Comunicação, que arquitetaram a ferramenta com a finalidade de atacar políticos adversários da prefeita Fafá Rosado e jornalistas que criticam a atual administração“, diz um trecho da matéria.

A documentação em posse da Justiça apontou que o grupo era integrado pelos jornalistas Pedro Carlos (assessor de imprensa da gestão mossoroense e diretor executivo do Correio da Tarde) e Neto Queiroz (colunista da Gazeta do Oeste, consultor de Comunicação da Prefeitura de Mossoró e assessor de imprensa do deputado estadual e marida da prefeita mossoroense, Leonardo Nogueira – DEM) e pelo gerente executivo da Comunicação da Prefeitura de Mossoró, o contabilista Ivanaldo Fernandes.

A reportagem do jornal O Mossoroense informou que ouviu os envolvidos no escândalo, mas todos, apesar da documentação repassada pelos provedores de internet, negaram participação no caso.

É um episódio gravíssimo de atentado à liberdade de expressão. Mas casos como esse não ocorrem só em Mossoró. Em Natal, críticos da gestão da prefeita Micarla de Sousa (PV) também são vítimas de ataques, ameaças e perseguições.

Denúncias indicam que, assim como em Mossoró, a estrutura de Comunicação do Palácio Felipe Camarão serve como plataforma para ataques anônimos aos desafetos da prefeita-borboleta. Nas redes sociais, multiplicam-se perfis falsos, recrutados pelos micarlistas, para desancar quem é considerado persona non grata pelos integrantes do borboletário.

Esperamos que a Justiça de Natal siga o exemplo de Mossoró e, pelo bem da democracia e da liberdade, desmonte a quadrilha que tenta intimidar os críticos da administração municipal.

 

Agripino não descarta encontro entre Micarla e Arruda

Na foto, Micarla e Arruda muito sorridentes, separados pela governadora Rosalba, com o senador José Agripino na outra ponta.

Li no blog de Ailton Medeiros que o senador José Agripino (DEM) deixou no ar a dúvida sobre o suposto encontro entre prefeita Micarla de Sousa (PV) e o ex-governador do DF, José Roberto Arruda, acusado pelo Ministério Público de comandar o esquema de distribuição de propinas conhecido como “mensalão do DEM” de Brasília.

Em entrevista à revista Veja, Arruda disse que, procurado por Agripino, colaborou com R$ 150 mil para a campanha de Micarla em 2008. O ex-governador contou ainda que, após eleita, Micarla o procurou para agradecer a ajuda. Em nota, a prefeita negou o encontro.

Agripino disse que Arruda agia motivado por “mágoas”, repeliu as acusações contra si, mas não descartou que o encontro entre o ex-governador do DF e a prefeita de Natal tenha mesmo ocorrido. O senador fez questão de dizer que “não tem mais ligações políticas” com Micarla.

“Arruda tem razões para mágoa. Eu, Demóstenes e Caiado pedimos sua expulsão sumária do DEM. Essa informação dele é totalmente infundada, repilo à altura. Mas ele cita Micarla e diz que ela, inclusive foi à casa dele agradecer. Que ela seja ouvida. É uma coisa checável. Micarla não tem mais ligações políticas comigo, não faz parte da minha aliança. Ouça-se a prefeita.

Os fichas-sujas da prefeita de Natal

Matéria deste sábado (19) da Tribuna do Norte revela que cinco integrantes do primeiro escalão da gestão da prefeita Micarla de Sousa (PV) respondem a processos que investigam crimes contra a administração e o patrimônio público. A denúncia foi feita pela promotora Juliana Limeira, coordenadora do Movimento Articulado de Combate à Corrupção (Marcco).

Os fichas-sujas de Micarla, segundo a promotora, são os secretários José Walter Fonseca (Educação), Thiago Trindade (Saúde) e Tertuliano Pinheiro (Turismo). Os três respondem a processos por improbidade administrativa. O secretário de Turismo, informa a reportagem, foi julgado em primeira instância numa ação criminal.

Além deles,  o ex-deputado estadual e agora presidente da Urbana Luiz Almir e o presidente da Arsban, Elias Nunes, também respondem a processos judiciais.

A promotora disse considerar “inadmissível” que a prefeita mantenha a nomeação dessas pessoas. Na campanha de 2008, a candidata Micarla de Sousa assinou a agenda propositiva do Marcco, comprometendo-se a não nomear fichas-sujas para secretarias, direção de órgãos, empresas ou fundações municipais. Eleita, a prefeita jogou o compromisso na lata do lixo.

P.S.: A lista do Marcco está incompleta. Há mais nomes do secretariado de Micarla de Sousa com a ficha-suja. Para quem acompanha o blog, não é necessário citar nomes.

Micarla nega encontro com Arruda

Em nota, a diretoria de comunicação do PV-RN aconfirmou que o partido recebeu doações do DEM para a campanha de 2008, mas sustentou que os recursos eram legais, invocou o princípio da “autonomia partidária” para dizer que não tem “nenhuma responsabilidade sobre os recursos financeiros do Democratas” e negou que a prefeita de Natal, Micarla de Sousa, tenha tratado sobre este assunto com o ex-governador do DF, José Roberto Arruda.

Em entrevista publicada no site da revista Veja, o ex-governador, acusado de chefiar o esquema do “mensalão do DEM”, disse ter sido procurado pelo senador José Agripino (RN), presidente nacional da legenda, que teria pedido R$ 150 mil para a campanha de Micarla. Ainda segundo Arruda, após eleita, Micarla teria lhe procurado para agradecer pela ajuda.

A Prefeita Micarla de Souza (sic), em nenhum momento, tratou desse assunto com o ex-governador José Roberto Arruda“, diz trecho da nota do Partido Verde.

A nota termina afirmando que “Qualquer outra divagação sobre esse assunto é especulação jornalística ou maldade política“.

Era previsível que a prefeita negaria as acusações de Arruda. É natural que o PV responda com “repúdio” às declarações do ex-governador do DF. O que não é aceitável é que o partido queira impedir a imprensa e a blogosfera de tratar deste assunto, tachando o trabalho jornalístico de “especulação”.

Especula-se quando não há fato determinado. Neste caso, é o contrário. Há a afirmação do ex-governador do DF, segundo quem a campanha de Micarla de Sousa recebeu ajuda financeira da quadrilha lotada em Brasília. Mesmo considerando “maldade política”, a prefeita precisa ser mais convincente nas explicações.

Leia, a seguir, a íntegra da nota do PV-RN:

 

Em respeito à verdade e, em especial aos cidadãos de Natal, o Partido Verde/RN vem a público emitir a presente nota de esclarecimento e repúdio às declarações do ex-governador José Roberto Arruda a VEJA on-line.

 

1. A campanha majoritária do PV na eleição municipal de Natal, em 2008, recebeu, de forma legal e absolutamente transparente, doação financeira do Partido Político DEMOCRATAS, membro da coligação que elegeu a Prefeita Micarla de Souza.

2. Essa doação, como todas as outras recebidas pelo comitê financeiro daquela campanha eleitoral, consta da prestação de contas aprovada, sem ressalvas, pelo TRE/RN e posta à disposição de qualquer cidadão, através do site do referido tribunal;

3. Ao Partido Verde não compete nenhuma responsabilidade sobre os recursos financeiros do DEMOCRATAS, presente, nessa circunstância, o princípio da autonomia partidária;

4. A Prefeita Micarla de Souza, em nenhum momento, tratou desse assunto com o ex-governador José Roberto Arruda.

5. O PV deixa claro que sempre agiu de acordo com a legislação eleitoral e com os princípios da moralidade pública, repudiando, assim, qualquer forma de interpretação equivocada sobre esse fato;

6. Qualquer outra divagação sobre esse assunto é especulação jornalística ou maldade política.

 

Diretoria de Comunicação do PV-RN

 

 

Em entrevista-bomba, Arruda envolve Agripino e Micarla no “mensalão do DEM”

Com seis meses de atraso, o site da revista Veja, maior representante da mídia conservadora brasileira, publicou entrevista com o ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (ex-DEM), que acusou os caciques do seu antigo partido de receberem dinheiro do esquema do mensalão do DEM.

Após a deflagração da Operação Caixa de Pandora pela Polícia Federal, Arruda foi preso, perdeu o mandato e terminou expulso do DEM. A investigação da PF revelou que o ex-governador comandava um esquema de arrecadação e distribuiçaõ de propinas com dinheiro público no DF.

Na entrevista (leia a íntegra aqui), concedida em setembro do ano passado, segundo advogados do ex-governador, mas publicada somente agora pela Veja, Arruda diz que deu “ajuda financeira” à cúpula do DEM. Os senadores José Agripino (RN) e Demóstenes Torres (TO), o ex-senador MArco Maciel (PE) e os deputados federais Rodrigo Maia (RJ), ACM Neto (BA) e Ronaldo Caiado (GO) são citados como beneficiários da quadrilha do DF.

Ao mencionar a ajuda ao senador potiguar, atual presidente nacional da legenda, Arruda envolveu também a prefeita de Natal, Micarla de Sousa (PV), no esquema de corrupção. O ex-governador disse que José Agripino o procurou pedindo R$ 150 mil para a campanha de Micarla em 2008. “Eu ajudei e até a Micarla veio aqui me agradecer depois de eleita“, declarou.

Os líderes do DEM, como era previsível, negaram as acusações de José Roberto Arruda. As negativas, porém, devem ir além das declarações razas. A simples estratégia de desqualificar o denunciante não convence. O ex-governador era a maior estrela do DEM, chegou a ser cotado para ser vice do tucano José Serra na disputa pela Presidência da República e sua administração era tida como vitrine do partido.

Quando ainda estava preso na Polícia Federal, Arruda havia ameaçado os ex-colegas de partido de revelar a participação deles no mensalão do DEM. Por algum motivo misterioso, a revista guardou a entrevista até agora.

A prefeita Micarla de Sousa é outra que precisa prestar esclarecimentos públicos sobre as acusações de Arruda. Micarla esteve mesmo com o ex-governador e o agradeceu pela suposta ajuda financeira a sua campanha? Caso seja verdade, trata-se de fato gravíssimo.

O senador José Agripino, conhecido pelas bandas daqui pelo seu envolvimento no escândalo do “rabo de palha“, se vê citado em um novo caso cabeludo. Logo agora, quando assumiu a presidência do partido para tentar salvá-lo da morte iminente. Com a palavra, o nosso Jajá.

 

O reino falido de Micarla

A administração da prefeita Micarla de Sousa (PV) ficará marcada pela intolerância contra seus críticos. Desde o início desta gestão, os súditos da borboleta, sempre dispostos a defendê-la com a própria vida, não economizaram nas ameaças, agressões e perseguições aos que se insurgiram contra os desígnios de Sua Majestade.

Funcionários públicos chamados de ladrões, fotógrafos expulsos do Palácio Felipe Camarão, jornalistas ameaçados por “babados fortes”, secretário dizendo que está “cagando e andando” para a plebe rude. Inúmeros episódios que viraram matéria farta para jornais, sites e blogs. É como se os bobos da corte verde não conseguissem viver sem aprontar alguma travessura.

O jornalista Daniel Dantas comentou no twitter que a “trupe micarlista” adotou como padrão a “postura de transformar nossas criticas à gestão em ofensas contra nós“. Ele se referia ao caso da produtora cultural Ilana Félix, que pediu demissão da Funcarte após divulgar uma carta aberta denunciando o presidente da instituição de assédio moral.

Depois disso, Ilana virou alvo da artilharia da guarda real da prefeita-borboleta. Desta vez, coube ao chefe do Núcleo de Artes Visuais da Funcarte, Marcílio Amorim, que se define como “o menino menos comportado da redondeza”, fazer o jogo sujo contra a nova inimiga pública número um dos micarlistas.

Verborrágico, Marcílio usou o twitter para ridicularizar Ilana. Entre outras gentilezas, mandou a produtora cultural “arranjar um bofe“, porque assim “tudo vai melhorar”. É mais uma demonstração de desequilíbrio dos auxiliares de Micarla de Sousa, que novamente assiste tudo sem se manifestar.

A prefeita sempre delega aos servos a tarefa de destratar os críticos, enquanto sorri cinicamente em frente às câmeras. Cada súdito é seu alterego, a expressão não declarada de Sua Majestade. Como não pode ordenar em público “Cortem a cabeça dela!”, como a rainha vermelha de “Alice no país das maravilhas”, deixa a cena para que seus pupilos demonstrem sua lealdade.

Nada mais me impressiona neste reino falido. Não vejo a hora em que o povo, em uníssono, através das urnas, retribuirá o descaso com que está sendo tratado. Então, será nossa vez de dizer: “Cortem a cabeça dela!”.

 

Navegação de Posts