Embolando Palavras

Arquivo para a tag “Wilma de Faria”

Micarla bate recorde de desaprovação: 84,5%

Uma nova pesquisa, divulgada hoje pela manhã pelo instituto Consult, revelou que a administração da prefeita Micarla de Sousa (PV) é reprovada por 84,5% da população natalense. É um recorde nacional. Apenas 9,25% concordam com a maneira como a pevista governa a cidade.

Além disso, Micarla lidera o ranking da rejeição entre os possíveis candidatos à Prefeitura de Natal em 2012: 61% dos eleitores disseram que não votariam nela em hipótese alguma. Novo recorde para a prefeita-borboleta.

O inferno de Micarla não para por aí. Não bastasse ver sua administração naufragar e sua popularidade ir pelo ralo, a prefeita ainda é obrigada a ver seu maior desafeto, o ex-prefeito Carlos Eduardo (PDT), disparar nas intenções de voto para 2012.

O pedetista lidera a disputa em todos os cenários apontados pela pesquisa. Ele varia de 41,5% a 57,38% na preferência dos eleitores. Em todas as simulações, Micarla não atinge nem 7%.

Entre os DEMenudos (Felipe Maia, Walter Alves e Fábio Faria), apelido dado pelo jornalista Daniel Dantas aos herdeiros dos clãs Maia, Alves e Faria, o mais perigoso é o filho do senador José Agripino (DEM). Na simulação com Carlos Eduardo (56,13%) e Micarla (5,63%), Felipe fica em segundo, com 14,63%.

O tucano Rogério Marinho chega a, no máximo, 8%. Hermano Morais (PMDB) atinge 15,25%, no cenário sem Carlos Eduardo. Nesta hipótese, a líder seria a ex-governadora Wilma de Faria (PSB), com 43,38%. Fernando Mineiro (PT) patina na casa dos 3%.

Por razões diversas, não acredito nas candidaturas de Wilma de Faria, Hermano Morais, Walter Alves, Fábio Faria nem Rogério Marinho. O cenário mais provável, na minha modesta opinião, é com Carlos Eduardo, Felipe Maia, Micarla de Sousa e Fernando Mineiro. Neste caso, teríamos dois candidatos do campo progressista contra dois conservadores.

A salada de números e nomes não permite fazer prognósticos precisos sobre o que acontecerá no próximo ano. Até lá, tudo pode aconter — até mesmo nada. Mas o levantamento indica pelo menos uma tendência. A derrocada da popularidade da prefeita é um fato consolidado.

Os índices traduzem o que se comenta nas ruas, nos bares, nos ônibus, nas conversas de fim de tarde das calçadas e nos debates das redes sociais. O descontentamento com a administração do PV atingiu níveis nunca antes vistos na história da cidade. Nem mesmo o impopular Aldo Tinoco conseguiu tamanha proeza.

Micarla sofreu uma metamorfose às avessas. A prefeita-borboleta é, nos dias atuais, uma quase unanimidade negativa entre os natalenses. Dois anos após conquistar o poder, frustrou as expectativas daqueles que, ingenuamente, enxergavam nela a figura da salvadora da pátria.

Agora, a prefeita deposita nos governos estadual e federal sua esperança para ressurgir das cinzas (o problema é que ela não é nenhuma fênix, mas só uma borboleta com as asas quebradas). Assim, admite, indiretamente, sua incompetência administrativa. Alega que nos anos anteriores não teve apoio para governar a cidade. Pura balela. O tucano Aécio Neves, por exemplo, governou Minas Gerais durante quase oito anos fazendo oposição ao governo Lula, mas deixou o cargo com recordes de aprovação.

Micarla procura um bode expiatório para o seu fiasco. Mas os natalenses precisam ficar atentos para um detalhe: Micarla é uma invenção coletiva. Ela não chegou sozinha à Prefeitura de Natal. Teve, para isso, o apoio decisivo de uma estrutura midiática, empresarial e política.

No campo político, contou com o apadrinhamento de Rosalba, Agripino, Robinson Faria, João Maia, Felipe Maia, Fábio Faria e Rogério Marinho. Eles são co-responsáveis por esse desastre que está aí. É preciso, pois, cobrar deles a fatura que pagamos em 2008.

Anúncios

Wilma enquadra aliados e diz que “PSB é oposição ao PV”

A ex-governadora Wilma de Faria, presidente estadual do PSB, usou o twitter para mandar um recado aos correligionários que aceitaram participar do secretariado da prefeita de Natal, Micarla de Sousa (PV).

Ex-colaboradores das duas gestões de Wilma de Faria no RN, os socialistas Vágner Araújo e Cláudio Porpino assumiram, respectivamente, as pastas de Gestão de Pessoas, Logística e Modernização Organizacional (Segelm) e Serviços Urbanos (Semsur) da administração verde.

Observadores políticos enxergaram na nomeação de Várgner e Porpino, dois nomes da “cozinha” da ex-governadora, um ensaio de aproximação entre Micarla de Sousa e Wilma de Faria. Isolada politicamente, abandonada pelos antigos aliados, a prefeita estaria tentando atrair para sua base legendas que dão sustentação ao governo da presidenta Dilma Rousseff (PT).

Em três mensagens postadas no site de relacionamentos, a ex-governadora colocou um ponto final nas especulações ao dizer que “O PSB não é aliado do PV”.

Repetindo o que eu já disse aos jornalistas: o psb não concorda com o modelo administrativo implantado pela atual gestão, portanto, quem assumir qualquer cargo na adm. de Natal, terá que se licenciar do partido. O psb não é aliado do pv. É oposição, portanto essa atitude é de coerência!“, declarou.

Diante da ênfase de Wilma, não resta outra alternativa para Vágner Araújo e Cláudio Porpino a não ser seguir o conselho do Capitão Nascimento: “Pede pra sair!”.

 

Pesquisa: 77,9% reprovam administração de Micarla

O site Carta Potiguar divulgou os números da pesquisa do Instituto Seta sobre a avaliação da administração da prefeita Micarla de Sousa. De acordo com os dados, 77,9% dos natalenses desaprovam a gestão da pevista, enquanto 22,1% dos entrevistados disseram que aprovam sua gestão.

A pesquisa foi realizada nos dias 26 e 27 de fevereiro e ouvi 800 pessoas nas quatro regiões da cidade. A margem de erro é de 2,5% e o intervalo de confiança é de 95%.

O levantamento mediu ainda a intenção de voto dos natalenses para a sucessão de 2012. O ex-prefeito Carlos Eduardo (PDT) lidera a preferência dos eleitores, com 28,3%. Ele é seguido pela ex-governadora Wilma de Faria (PSB) com 16,6% e pela deputada federal Fátima Bezerra (PT) com 13,3%.

No segundo pelotão, longe dos líderes, vem o deputado federal Felipe Maia (DEM), em quarto lugar, com 5,4%. A prefeita Micarla de Sousa surge apenas em quinto lugar, com 4,2%, seguida de perto pelo deputado estadual Fernando Mineiro (PT), com 3,1%.

O deputado federal Rogério Marinho (PSDB) é o sétimo na preferência do eleitorado, com 2,6%. Completam a lista o vereador Adão Eridan (PR), o deputado federal Fábio Faria (PMN), o deputado estadual Walter Alves (PMDB) e a deputada estadual Gesane Marinho (PMN), respectivamente com 2,5%, 2,3%, 1,7% e 1,3% das intenções de voto. 13,1% não sabem ou não responderam. Brancos e nulos somaram 5,6%.

Os números deixam claro que a situação da prefeita é extremamente complicada. Com a popularidade em queda livre, Micarla aposta suas esperanças na vinda da Copa do Mundo para Natal e na parceria com o governo federal para realizar obras e reverter os índices de desaprovação. Ela tem se enforçado para demonstrar que está afinada com a presidenta Dilma Rousseff, esperando que as declaradas promessas de ajuda se materializem.

É improvável que a rejeição à prefeita continue nesses patamares até o próximo ano. Micarla deverá, sim, reverter parte dessa desaprovação. Mas se será o suficiente para conseguir se reeleger, não é possível ainda dizer que sim — nem que não.

Apesar do eventual apoio do governo federal, os recursos do PAC e a vinda da Copa do Mundo, falta à prefeita muito mais que verbas para fazer obras: Micarla não está preparada para administrar uma cidade com a complexidade de Natal. Falta planejamento, programa de governo e capacidade administrativa.

Creio que mesmo se o governo federal criasse um PAC só para Natal, ainda assim Micarla de Sousa não conseguiria mudar o rumo da sua fracassada administração. Em 2012, ao que tudo indica, a prefeita-borboleta e seus bobos da corte deverão procurar outros campos para flanar.

Diap diz que PT, PCdoB e PSB aumentarão bancadas no Senado

O Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) divulgou análise em que prevê que PT, PCdoB e PSB têm boas chances de ampliar suas bancadas no Senado em 2010. A avaliação foi divulgada pelo site Congresso em Foco.

Para o diretor do Diap, Antônio Augusto de Queiroz, a bancada do PT poderá passar dos atuais 11 para 16 senadores. A ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy e o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel são algumas das principais apostas do partido.

O PCdoB, que tem apenas um senador, poderá eleger mais três. Já o PSB tem perspectiva de dobrar sua representação, conquistando quatro vagas na Casa.

Entre as apostas dos socialistas, destaque para a ex-governadora do RN Wilma de Faria, que disputa uma das duas vagas em jogo com os atuais senadores Garibaldi Alves Filho (PMDB) e José Agripino Maia (DEM).

Enfim, temos uma refinaria

Alheio às acusações de que a Refinaria Clara Camarão é um “prêmio de consolação para o RN”, presidente Lula visita o Pólo Industrial de Guamaré.

 

Por Alisson Almeida, para o Nominuto.com

 

Pólo Industrial de Guamaré será ampliado para operar como refinaria.

 

A refinaria que leva nome de guerreira (Clara Camarão), finalmente, deve sair do papel. Para torná-la realidade, foi necessário travar uma verdadeira luta – termo usado, em tom propositadamente dramático, por algumas personalidades presentes no ato de lançamento da obra.

Trata-se da tão sonhada refinaria do Rio Grande do Norte, batizada de “Clara Camarão”, no município de Guamaré. A cidade fica na região litorânea, distante 165 km de Natal. Para chegar lá, é preciso se aventurar entre os buracos da BR 406.

O Pólo Industrial, onde será instalada a unidade de processamento, fica a 5 km da área urbana. Coube ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva dar o “start” para implantação da refinaria. Na quinta-feira (19), Lula e a governadora Wilma de Faria (PSB) assinaram um termo de compromisso entre o governo do Rio Grande do Norte e a Petrobras para ampliar a capacidade instalada da planta.

A partir do segundo semestre de 2010, segundo estimativas oficiais, a antiga Unidade de Tratamento e Processamento de Fluidos (UTPF) vai operar como uma refinaria de verdade, com a produção de gasolina e nafta petroquímica, somando-se aos produtos que já são beneficiados no complexo – diesel, gás liquefeito de petróleo (GLP) e querosene de aviação (QAV).

Lula chegou a Guamaré com quase duas horas de atraso, desembarcando no heliporto do Pólo Industrial por volta das 16h30. Na tenda armada para sediar a cerimônia, o presidente era aguardado por políticos, secretários de estado e funcionários da Petrobras.

A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) foi a ausência mais presente do evento. A ungida de Lula para ser sua sucessora, a partir de 2011, foi citada em quase todos os discursos e proclamada como a grande responsável pela conquista da refinaria.

Vestindo um típico macacão de petroleiro, Lula proferiu um discurso carregado de críticas à oposição, citou alguns investimentos realizados pelo seu governo no RN e defendeu a importância da Refinaria Clara Camarão para o desenvolvimento da economia potiguar.

“Para mim pouco importa o que os adversários estão dizendo, porque enquanto eles falam, nós estamos trabalhando. Os adversários estão com um sério problema. Eles precisam achar um assunto para discutir com a gente. Duvido que todos eles juntos, nos últimos 20 anos, tenham feito mais em todos os Estados do que aquilo que fizemos”, desafiou.

O petardo presidencial tem endereço certo: os que afirmam que a refinaria não passa de uma “compensação” por supostas perdas infringidas ao Rio Grande do Norte. Para Lula, a obra de ampliação vai representar um “salto no desenvolvimento” potiguar.

O presidente chamou a oposição de “hipócrita” por atribuir o êxito do governo a um lance de “sorte”. “Nossos adversários dizem que achamos o pré-sal por pura sorte. Mas a oposição não entende que todo mundo precisa ter sorte, mas precisa aliar a sorte à competência e à decisão política de investir, que é o que nós vimos fazendo”.

Relembrando os investimentos federais no RN, Lula disse ainda que o programa “Luz Para Todos” levou energia elétrica para 250 mil famílias potiguares. Em seguida, voltou a empregar o tom político ao dirigir-se à Wilma de Faria para dizer que a governadora “rompeu com o coronelismo das famílias que mandavam no estado” – o deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB), filho do ex-governador Aluízio Alves, teve que superar o constrangimento.

O presidente afirmou que o país vive um verdadeiro “milagre” com a descoberta do pré-sal e listou as áreas que considera essenciais para investimento do dinheiro das novas reservas: educação, ciência e tecnologia, saúde, cultura e meio-ambiente.

“O dinheiro do pré-sal não pode entrar no ralo comum da administração pública, sem surtir os efeitos que nós queremos”, finalizou.

 

 

Navegação de Posts